A ressurreição dos treinadores veteranos no Campeonato Brasileiro

Luxemburgo, Felipão e Muricy deixam inferno astral de lado e se destacam no Campeonato Brasileiro

Por O Dia

Rio - Foram 38 rodadas e 34 treinadores na Série A do Campeonato Brasileiro. Enquanto Marcelo Oliveira foi absoluto no comando do Cruzeiro, levando o time mineiro ao bicampeonato, uma geração de campeões que andavam por baixo, recuperou o prestígio e se destacou no Brasileirão.

Vanderlei Luxemburgo assumiu o Flamengo no dia 23 de julho com o clube na lanterna da competição. O treinador de 62 anos, que tem no currículo cinco Campeonatos Brasileiros, uma Copa do Brasil, 12 Estaduais, além de passagem pela seleção brasileira vinha de nove meses de desemprego após ter sido demitido do Fluminense em novembro de 2013. com a chegada do novo treinador no lugar de Ney Franco, o Fla ganhou vida nova e arrancou no campeonato. O aproveitamento de Luxemburgo foi de 55,5%, o sétimo melhor da Série A.

Vanderlei Luxemburgo salvou o Flamengo do rebaixamentoMárcio Mercante

Luiz Felipe Scolari viveu seu inferno astral no dia 8 de julho quando a seleção brasileira foi atropelada pela Alemanha na vergonhosa derrota por 7 a 1 na Copa do Mundo. Pensava-se que o comandante, que terminou o Mundial em quarto, teria longas férias. Mas três semanas depois, ele assumiu o Grêmio no lugar de Enderson Moreira na décima colocação. O time se encaixou com as mudanças táticas do treinador e terminou na sétima colocação. Felipão foi o sexto melhor treinador do Brasileirão com 56% de aproveitamento e recuperou, em parte, o prestígio.

Tetracampeão brasileiro, Muricy Ramalho retornou ao São Paulo em 2013 e passou o ano brigando contra o rebaixamento. Aos trancos e barrancos se salvou e teve tempo montar a equipe, fez o Tricolor jogar um futebol vistoso e ficou em segundo lugar em aproveitamento com 61,4%.

Muricy Ramalho levou São Paulo de volta à LibertadoresDivulgação

Novatos brilham pouco

Entre os treinadores com menos experiência, destaque para Argel Fucks, que tirou o Figueirense da zona de rebaixamento e teve 45,6% (13o melhor). Claudinei Oliveira se destacou no comando do Atlético-PR e teve 50% de aproveitamento, terminando na 11a posição no ranking dos treinadores.

Entre os novatos, Argel Fucks se destacouDivulgação

Quem teve ótimo desempenho na reta final foram Celso Rodrigues, da Chapecoense, e Charles, do Bahia. O treinador do time catarinense livrou a equipe da Série B com uma arrancada nos quatro jogos finais, sendo duas vitórias (58,3%). Já Charles não conseguiu salvar o Bahia, clube que foi ídolo como jogador, do rebaixamento venceu três de sete jogos e aproveitamento de 47,6%.

O treinador que mais perdeu foi Vagner Mancini, do Botafogo, com 22 derrotas em 38 rodadas. Vinicius Európio, que passou pelo Figueirense, e Toninho Cecílio, ex-comandante do Criciúma, foram os únicos que perderam todos os jogos que disputaram.

Ranking dos treinadores do Campeonato Brasileiro

1. Marcelo Oliveira (Cruzeiro) - 70,2%

2. Muricy Ramalho (São Paulo) - 61,4%

3. Abel Braga (Internacional) - 60.5%

4. Mano Menezes (Corinthians) - 60,5%

5. Celso Rodrigues (Chapecoense) - 58.3%

6. Luiz Felipe Scolari (Grêmio) - 56%

7. Vanderlei Luxemburgo (Flamengo) - 55,5%

8. Levir Culpi (Atlético-MG) - 54.9%

9. Cristóvão Borges (Fluminense) - 53,5%

10. Enderson Moreira (Grêmio/Santos) - 52%

11. Claudinei Oliveira (Atlético-PR) - 50%

12. Charles (Bahia) - 47,6%

13. Doriva (Atlético-PR) - 45,8%

14. Argel Fucks (Figueirense) - 45,6%

15. Eduardo Baptista (Sport) - 45,6%

16. Oswaldo de Oliveira (Santos) - 42,5%

17. Ricardo Drumbsky (Goiás) - 41,2%

18. Jorginho (Vitória/Chapecoense) - 40,2%

19. Marquinhos Santos (Bahia/Coritiba) - 38,3%

20. Dorival Junior (Palmeiras) - 38,3%

21. Wagner Lopes (Criciúma) - 37,7%

22. Miguel Angel Portugal (Atlético-PR) - 33,3%

23. Jayme de Almeida (Flamengo) - 33,3%

24. Paulo Autuori (Atlético-MG) - 33,3%

25. Gilson Kleina (Palmeiras) - 31,8%

26. Celso Roth (Coritiba) - 29,4%

27. Vagner Mancini (Botafogo) - 29%

28. Ney Franco (Vitória/Flamengo/Vitória) - 28%

29. Gilmar dal Pozzo (Criciúma) - 27,7%

30. Ricardo Gareca (Palmeiras) - 23,3%

31. Guto Ferreira (Figueirense) - 23,3%

32. Luizinho Vieira (Criciúma) - 16,6%

33. Vinicius Eutrópio (Figueirense) - 0%

34. Toninho Cecílio (Criciúma) - 0%

Últimas de Esporte