Tática no Fogão: É matar ou matar

Mancini conta com André Bahia para o time não sofrer gols

Por O Dia

Paraná - O discurso é de busca pela vitória a qualquer custo, embora, internamente, o empate com o lanterna Coritiba, às 21h, no Couto Pereira, seja considerado um bom resultado para o Botafogo na luta contra o rebaixamento à Série B do Campeonato Brasileiro. O técnico Vagner Mancini, porém, adota um discurso forte para o confronto, cujo vencedor praticamente aniquilará o derrotado na pontuação e na parte psicológica.

Mancini quer vitória em CuritibaDivulgação

“É um jogo de matar ou matar. Morrer não faz parte do vocabulário. Nessa hora tem de mostrar para o atleta que se vier uma derrota, ficamos na zona desconfortável. O ideal é somar dois pontos a cada jogo. Essa matemática não existe, mas é possível quatro em duas partidas. Precisamos agregar o jogo contra o Coritiba junto ao do Flamengo para ganhar moral”, projetou Mancini.

A volta de André Bahia à zaga aumenta a esperança de Mancini de ver o Botafogo não sofrer gol. A última vez que isso aconteceu foi justamente na partida que antecedeu as dores musculares de André Bahia, na vitória por 1 a 0 sobre o Corinthians. Depois, ele desfalcou o Alvinegro em dois jogos e a defesa sofreu seis.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Botafogo

“O ideal é vencer. Nesses últimos nove jogos que faltam, o importante é sempre somar pontos, não importa como. Mas o empate ao menos mantém a distância para o Coritiba, que está atrás de nós. Dependendo do que for o jogo, a gente analisa depois se o empate foi ruim”, acrescentou o treinador, que assim como no empate (1 a 1) com o Sport, em Volta Redonda, começará com Jobson no ataque.