Bandeira critica veto da CBF aos jogos em Brasília: 'Não houve boa vontade'

Fla gostaria de mandar todos as partidas no Mané Garrincha

Por O Dia

Rio - O veto da CBF ao pedido do Flamengo para que Brasília fosse a casa da equipe repercutiu muito mal no Rubro-Negro. Além de uma nota de repúdio divulgada no site oficial, o presidente do clube, Eduardo Bandeira de Mello concedeu uma entrevista coletiva neste sábado. Segundo o mandatário, a medida da entidade foi interpretada na Gávea como uma represália por conta da batalha política que os cariocas travam com a Federação de Futebol do Estado do Rio (Ferj).

Eduardo Bandeira de Mello criticou medida da CBFMárcio Mercante

"Não consigo imaginar nenhuma razão que não seja prejudicar o Flamengo. Não houve boa vontade. Ninguém ia sair prejudicado com isso, mas tivemos essa recusa depois da sinalização positiva e de pareceres técnicos e jurídicos. Isso aconteceu simplesmente por causa de pressão da Ferj. Isso vai prejudicar o clube financeiramente, o time... De repente, é exatamente isso o que eles querem", afirmou.

Com o veto da CBF, o Flamengo terá que pedir autorização da Ferj para jogar todos os seus jogos em Brasília. Além disso, o Rubro-Negro também precisa de aval da federação local e do clube visitante, que pode vir a dificultar a realização da partida. Apesar dos empecilhos, Bandeira de Mello não descarta que o Flamengo mande jogos em Brasília.

"Brasília não está descartada em hipótese alguma. Estamos recebendo a solidariedade de vários clubes. Acredito que vamos poder jogar em Brasília e em outras praças, mas agora teremos de negociar jogo a jogo. Todas as vezes que quisermos jogar em Brasília, teremos de cumprir este ritual", disse.