Rodrigo destaca dever cumprido e faz alerta para o Vasco não sofrer em 2015

Zagueiro dá recado: quer 'disputar coisas grandes'

Por O Dia

Rio - O Vasco alcançou o objetivo e garantiu o retorno à elite do futebol brasileiro. Apesar de todo o sofrimento na campanha na Série B, o clima é de dever cumprido. Um dos líderes do elenco, o zagueiro Rodrigo ressaltou a satisfação com o acesso.

Rodrigo diz que Joel Santana deixou o ambiente do Vasco mais tranquiloDivulgação

"Vejo este ano com dever cumprido, daquilo que foi passado para mim durante o ano, que era o acesso para a Série A. Vejo como um ano bom para mim. Aquilo que foi colocado foi executado", disse Rodrigo em entrevista ao programa "Bate-Bola", da ESPN Brasil.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Vasco

O zagueiro do Vasco também ressaltou a tranquilidade que Joel Santana, que substituiu Adilson Batista, levou ao dia a dia do elenco.

"Adilson era muito cobrado dentro do Vasco. Quando um treinador é muito cobrado, a cobrança vem junta. A chegada do Joel tirou o peso dos jogadores, que estavam jogando no limite e os resultados não vinham. Ele tem aquilo de paizão, brinca mais. Ele assumiu uma parte da cobrança, aliviou um pouco. Com Joel, nós conseguimos ter um pouco mais de tranquilidade no vestiário e no dia a dia, uma coisa diferente do Adilson, que a todo momento era à flor da pele. Não estou falando de resultado, mas do dia a dia que tirou o peso. Era que isso que estava faltando", analisou.

Rodrigo tem mais um ano de contrato com o Vasco. Ele faz alerta para o clube não sofrer em 2015.

"Eu espero que não passe por momentos de altos e baixos, como passamos na Série B, e nem o que passou no ano passado, que foi o rebaixamento. Eu nunca trabalhei com Eurico Miranda, vai vir uma nova presidência. Eu não gostaria de disputar novamente para fugir do rebaixamento e, sim, disputar coisas grandes. Um jogador, quando coloca a camisa do Vasco, é difícil não pensar em título. A mentalidade tem de ser para frente. O pensamento tem de ser de evoluir e também de contratações pontuais, senão vai ser complicado no ano que vem", encerrou.