Com filha no colo, jornalista é hostilizado por manifestantes anti-PT

Guga Noblat sofreu ofensas de 'paneleiros' que protestavam contra o governo da presidente Dilma

Por O Dia

São Paulo - O jornalista Guga Noblat foi ofendido por manifestantes que protestavam contra o governo da presidente Dilma Rousseff na Avenida Paulista, em frente ao Museu de Arte de São Paulo (Masp), na tarde do último domingo. De acordo com Noblat, que já foi repórter do programa CQC, o "ataque" ocorreu após ser reconhecido e vestir uma camisa vermelha. Indignado, o profissional que estava com sua filha pequena no colo na hora do acontecimento divulgou imagens do fatos nas redes sociais. 

Guga Noblat mostra camiseta que teria motivado as ofensas dos manifestantesReprodução Facebook

"Não evitei a manifestação porque parecia insignificante e não imaginava que seriam tão baixos e doentes a ponto de me atacar, especialmente com um bebê", escreveu ele em uma das postagens. "Muitos disseram que sai de casa com camisa do Che Guevara pra causar tumulto. Como podem ver era uma camiseta all star (USA)", esclareceu ele em outro comentário.

O vídeo que mostra os insultos e ameaças já foi compartilhado mais de 2 mil vezes. Os internautas se dividem entre a solidariedade prestada a Guga e as críticas. Alguns o chamam de "petista", já outros afirmam que ele assumiu o risco e expôs a própria filha ao passar com a criança no meio dos manifestantes.

O deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ), classificou o episódio como um “espetáculo fascista”. “Nem mesmo a presença de uma criança de colo impediu que Guga Noblat fosse alvo de insultos e ameaças movidos a ódio por parte dos que batiam panelas na Avenida Paulista; nem mesmo aquela criança foi capaz de reduzir o ódio de quem o cercava, aos berros, e que afirmava ter o direito de dizer se ele poderia ou não trafegar por uma rua pública ao lado de sua casa. ódio cega. O ódio desumaniza. O ódio tira o senso do ridículo. O ódio transforma o que poderia ser uma crítica construtiva ou uma manifestação pacífica num espetáculo fascista assustador!”, escreveu Wyllys.

O problema de Guga com os manifestantes começou em 2014 durante a cobertura dos primeiros protestos em defesa do impeachment de Dilma. Na ocasião, ele foi acusado de distorcer a cobertura das manifestações e era frequentemente hostilizado. Além disso, em entrevistas concedidas à imprensa ele chegou a dizer que estava sendo “perseguido pela extrema-direita”.


Passei pela Av Paulista voltando para casa e deu nisso. Mais uma vez fui atacado por um bando de militantes idiotas. Mesmo com minha filha no colo.só pra esclarecer os haters que possam apoiar os covardes que me ofenderam. 1- Estava voltando pra casa com a filha no colo qnd cruzei com cerca 20 manifestantes. Moro do lado masp. Não tinha como prever q me ofenderiam.2- Eram 3 pessoas batendo panela e mais 15 ao redor deles. O taxi da paulista fazia mais barulho. Não evitei a manifestação pq parecia insignificante e não imaginava que seriam tão baixos e doentes a ponto de me atacar, especialmente com um bebe.

Posted by Guga Noblat on Domingo, 17 de maio de 2015

Últimas de _legado_Brasil