Famosos comentam manifestações populares pelo Brasil

O músico Otto comparou as manifestações ao movimento dos 'caras pintadas', em 1992, contra o Collor

Por O Dia

Rio de Janiero - Artistas, esportistas e outros famosos não deixaram de expor publicamente suas opiniões sobre os protestos contra o aumento do preço das passagens de ônibus, contra os grandes eventos esportivos e com muitas outras pautas que tomaram o Brasil com forte adesão popular desde a semana passada.

Nesta quinta-feira, o músico Otto, que participou da manifestação de segunda-feira, dia 17, no centro do Rio de Janeiro, falou sobre o motivo dos protestos: "Não é só pelo bilhete (passagens do transporte público), tem o peso da Copa do Mundo e o volume enorme de dinheiro que circulou para isso causa revolta, é natural".

Otto comparou as manifestações ao movimento dos "caras pintadas" contra o ex-presidente Fernando Collor de Melo, em 1992, mas destacou as diferenças: "Eu fui para as ruas no Recife, tinha 24 anos. Mas era para tirar um governo corrupto do poder, agora não se quer tirar a governante, mas desinstalar a corrupção do poder". "O povo já mostrou sua força, já conseguiu a redução da passagem, agora é preciso discutir outros pontos de outras maneiras. Meu medo agora é que alguém se machuque, morra, é perigoso", acrescentou o músico.

Em seu blog, Caetano Veloso postou no dia 17 um texto comentando o movimento popular que já acontece em cerca de 100 cidades brasileiras: "O mais importante é notar que os protestos serem motivados pelo aumento das tarifas aponta para o problema gigante do transporte público no Brasil", comentou. O cantor apoiou abertamente as manifestações: "De minha parte, identifico-me com os manifestantes. Eles estão dando voz a sentimentos ainda inarticulados. Têm que nos fazer pensar", escreveu.

Gilberto Gil, por sua vez, postou em sua conta do Twitter no dia 18: "O governador promete/ Mas o sistema diz não/ Os lucros são muito grandes/ Mas ninguém quer abrir mão", trecho de sua música "Nos Barracos da Cidade" ("Gente estúpida/ Gente hipócrita").

Ímã de lentes e microfones nos últimos tempos por assumir publicamente seu casamento homossexual, a cantora Daniela Mercury exaltou as manifestações em uma série de postagens na mesma rede: "Viva a democracia, finalmente o povo brasileiro acordou e resolveu tomar para si o poder que é seu. Sonhei com esse momento!", postou.

Daniela citou a música "Canción con todos", que ficou famosa na voz da cantora argentina Mercedes Sosa: "Todas las voces, todas, todas las manos todas, toda la sangre puede ser cancion en el viento, canta conmigo, canta, hermano americano". Outra que tem acompanhado, mesmo de longe, os protestos no Brasil é a atriz Sonia Braga, que vem compartilhando vídeos, fotos e mensagens de apoio aos manifestantes.

Em seu perfil no Facebook, Sonia alterou sua foto principal e sua foto de capa para imagens do Movimento Passe Livre (MPL), que iniciou o movimento. Radicada em Nova York, Sonia postou uma foto da multidão nas ruas de cidades brasileiras legendando em inglês: "This is not samba, this is not soccer, this is protest!" (Isso não é samba, isso não é futebol, isso é protesto!). Entre as celebridades do futebol, Pelé escreveu "Por favor, não me entendam mal.

Eu sou 100% a favor deste movimento pela justiça no Brasil! Eu somente peço a todos que apoiem a nossa Seleção Brasileira e não descontem as frustrações neles (vaiando e etc)." O ex-jogador e atual deputado federal Romário, ferrenho crítico da realização dos grandes eventos esportivos no Brasil, deu uma pausa nas críticas aos custos da reforma dos estádios para parabenizar a onda que tomou as ruas: "É com muito prazer, satisfação e orgulho que parabenizo o povo brasileiro pelas manifestações hiper pacíficas e legítimas, ocorridas ontem", postou.

O ex-atacante acrescentou: "Queremos e exigimos o que é nosso. Basta de sacanagem, roubo, humilhação, falcatruas, falta de atitude, seriedade política e social". Pelo aplicativo de imagens Instagram, a übermodel Gisele Bündchen publicou uma montagem com fotos de várias capitais brasileiras e comentou: "Vamos continuar a lutar civilizadamente pelos nossos direitos, porque todos nós merecemos um Brasil melhor".

Pelo mesmo canal, a atriz Leandra Leal e o ator Bruno Gagliasso, entre outros, divulgaram a participação da ala LGBT na manifestação desta quinta-feira no Rio de Janeiro, que deve reunir ainda mais pessoas no Centro. Pelo menos cinco capitais, além de Brasília, marcaram protestos para esta sexta-feira: São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Manaus e Goiânia. Além de São Paulo e Rio, as prefeituras de outras nove cidades já anunciaram a redução do valor das passagens de ônibus: Porto Alegre, João Pessoa, Campinas, Cuiabá, Manaus, Paranaguá (PR), Foz do Iguaçu (PR), Vinhedo (SP) e Valinhos (SP).

Últimas de _legado_Mundo e Ciência