Colégio Pedro II sem merenda escolar

Alunos estão sem almoço e jantar desde quinta-feira. Reitoria promete solução até fim de novembro

Por O Dia

Rio - Referência em educação pública no país, o Colégio Pedro II vive mais uma crise. Desta vez, o problema é na merenda escolar, conforme antecipou o 'Informe do Dia', na edição do último sábado. Os alunos estão sem almoço e jantar, e o colégio tem oferecido apenas biscoito e suco nas refeições.

Segundo a diretora-geral da unidade Engenho Novo II, o problema se deveu a irregularidades no repasse de dinheiro por parte do governo federal, o que inviabilizou o pagamento dos salários dos funcionários terceirizados que cuidam da merenda escolar.

O reitor Oscar Halac, no entanto, rebate a informação. Ele reconhece o problema, mas garante que sua origem não foi a falta de repasse de verbas por parte do governo federal, ou mesmo da direção do Colégio Pedro II. Halac informa que a responsabilidade é da Rigicar, empresa terceirizada responsável pela merenda.

Reitoria do Pedro II culpa empresa terceirizada pela suspensão das refeições nas unidades do colégio. Direção diz que fará nova licitação Severino Silva / Agência O Dia

"Não é por falta de recurso, é por falta de gerenciamento e de competência da empresa. Os pagamentos estão feitos. Está tudo em dia”, disse Halac.

De acordo com o reitor, uma nova licitação será feita para que outra empresa passe a prestar os serviços. Halac lamentou o problema, mas garantiu que até o fim de novembro, no máximo, tudo deverá estar solucionado de forma definitiva.

“Falamos de uma empresa pública, onde fazer uma licitação não é algo tão simples. Mas já está tudo muito bem encaminhado e até o fim do mês que vem estará tudo normalizado”, explicou o reitor.

Integrante da Comissão de Pais da Unidade de São Cristovão, Luciana Zanetti, também conselheira do Pedro II, criticou a morosidade da atual gestão na questão da alimentação escolar. E reclamou da falta de fiscalização em relação às empresas terceirizadas. 

“Se a responsabilidade da merenda é da Rigicar, a responsabilidade de fiscalizar a Rigicar é do Colégio Pedro II, que não o faz. Não é a primeira vez que isto acontece”, protestou Luciana.

Mãe denuncia as cantinas

As irregularidades na alimentação das unidades do Colégio Pedro II não se resumem à merenda. Segundo Luciana Zanetti, o mesmo acontece em relação às cantinas. Segundo ela, as 14 cantinas de todas as unidades são administradas por uma única pessoa, que não cumpre o que está previsto em contrato.

“O contrato exige que seja oferecida alimentação balanceada e saudável, mas não tem suco natural, só em caixinha. E guaraná. E salgados. Já levamos isso ao conselho várias vezes” reclamou Luciana.

Segundo ela, a reitoria prometeu providências, mas as diretorias das unidades seriam contra uma mudança no contrato.

“Alegam que o colégio não pode ficar sem cantina. Mas pode ficar sem merenda?”, questionou.

Últimas de Rio De Janeiro