Ex-morador de rua preso em protestos de 2013 passa a cumprir pena domiciliar

A justiça concedeu para Rafael Braga Vieira a progressão para o regime aberto com o uso de tornozeleira eletrônica

Por O Dia

Rio - O último manifestante preso por ação violenta nos protestos de junho de 2013 deixou a prisão nesta terça-feira no Rio. O Juízo da Vara de Execuções Penais concedeu ao ex-morador de rua Rafael Braga Vieira, 28 anos, a progressão de pena para o regime aberto. Naquele mesmo ano, Rafael fora condenado a quatro anos e oito meses de prisão por portar dois coquetéis molotov. A defesa de Rafael alega que o rapaz estava com uma garrafa de desinfetante nas mãos.

Rafael Braga Vieira foi libertado nesta terça-feiraDivulgação

Rafael cumprirá o restante da pena em prisão domiciliar com a obrigação do uso de tornozeleira eletrônica. Ele poderá sair de casa apenas para estudar ou trabalhar. 

Relembre o caso

Rafael foi preso em frente à Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (DCAV) no dia 20 de junho de 2013. Consta no processo que policias civis viram quando ele entrou em estabelecimento comercial em frente à DCAV. Instantes depois, ele teria saído com dois “artefatos incendiários em suas mãos”. O protesto teria reunido cerca de 300 mil pessoas. Rafael negou que estivesse com os coquetéis. Nos autos, após declaração do jovem, o juiz afirma que o réu “declarou uma versão pueril e inverossímil, no sentido de que teria encontrado as duas garrafas lacradas (uma, segundo ele, contendo Pinho Sol e a outra, água sanitária) ambas em uma loja abandonada, e resolveu tirá-las dali”.

O laudo técnico da Core atestou que uma das garrafas tinha “mínima aptidão para funcionar como coquetel molotov”. 

Últimas de Rio De Janeiro