Manifestantes ocupam a Secretaria de Fazenda

Profissionais reivindicam falar com o secretário Júlio Bueno

Por karilayn.areias

Rio - Profissionais de todas as categorias de servidores ocuparam, na tarde desta terça-feira, o prédio da Secretaria de Fazenda, no Centro do Rio. Os manifestantes reivindicam falar com o secretário Júlio Bueno para entregar um documento contra o atraso no pagamento do salários dos aposentados e pensionistas. De acordo com o Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação do Rio de Janeiro (Sepe), foram recebidos pelo chefe de Gabinete da pasta, Julio Mirilli, mas a reunião terminou sem acordo após uma porta de vidro se quebrar.

Alguns policiais militares formaram uma comissão de vistoria para apurar como ocorreu o incidente e os manifestantes também participarão do grupo, sob a alegação de que um segurança quebrou a porta no momento em que a fechava.

PMs negociam saída de manifestantes do prédio da Secretaria de FazendaPaloma Savedra / Agência O Dia

Segundo Renan Moraes, coordenador da regional 3 (que compreende os bairros da Tijuca e Méier) do Sepe, afirmou que o movimento pede o pagamento imediato dos inativos. Moraes informou que os manifestantes pedem uma reunião para reivindicar a pauta da greve do funcionalismo, com os seguintes pontos: retorno do calendário de pagamento dos servidores, retirada da reforma da Previdência do Estado (aumentando a contribuição dos servidores de 11 para 14%) e abrir negociação para reajuste salarial.

Por volta das 17h, com a portaria e o 19º andar — onde fica a sala de Júlio Bueno — ocupados, o clima ficou tenso. Uma equipe de reportagem da TV Globo foi expulsa pelos manifestantes. Alguns deles chegaram a xingar policiais militares que foram acionados por conta da ocupação. Até o momento, não há registro de confusão no local. Às 17h30, PMs negociavam a saída dos manifestantes do local. Às 18h, funcionários da pasta deixaram o local. O Sepe enviou, às 18h15, água e lanche para os ativistas.

Manifestantes colaram adesivos sobre a ocupação no localPaloma Savedra / Agência O Dia

Houve também um princípio de confusão no início da ocupação, quando professores estaduais foram atingidos por gás de pimenta usado por seguranças do local. Procurada, a Polícia Militar confirmou a ocorrência.

Mais cedo, os servidores votaram pela continuidade da greve em assembleia realizada na quadra da escola de samba Sâo Clemente. Ao final da reunião, os profissionais de educação das escolas estaduais — que estão de greve desde o dia 2 de março — também foram para o prédio da Secretaria de Fazenda apoiar os demais colegas. Uma nova assembléia está marcada para o dia 19 deste mês, a partir das 10h, em local a confirmar. Após a reunião, um ato será feito na Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj), às 14h.

Manifestantes invadem a Secretaria de Fazenda%2C no Centro do RioReprodução Facebook do Sepe

Em nota, o Governo do Estado condenou a ocupação. Confira o documento na íntegra:

O Governo do Estado do Rio de Janeiro pauta-se pelo diálogo com servidores e sociedade em geral, condenando qualquer prática beligerante, principalmente quando seguida de atos de vandalismo. O Governo do Estado do Rio de Janeiro considera legítimo o direito de manifestação, desde que não ocorram prejuízos aos serviços prestados à população e sejam respeitadas a integridade física das pessoas e a preservação do patrimônio público.  

A ocupação e a depredação das instalações da Secretaria de Estado de Fazenda, ocorridas na tarde desta quinta-feira, são absolutamente condenáveis. Os servidores que ali trabalham se esforçam, mais do que nunca, na construção de iniciativas para amenizar o déficit financeiro do estado. O Governo do Estado do Rio de Janeiro jamais compactuará com procedimentos conduzidos pela falta de interlocução e pela prática de danos ao patrimônio público. O Governo do Estado do Rio de Janeiro permanece disponível ao diálogo, prática que vem sendo adotada com servidores e seus representantes.

A reportagem de O DIA não constatou qualquer depredação no local.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia