Operação Segurança Presente prende um foragido a cada dois dias

Governo do Estado e o Sistema Fecomércio estão investindo R$ 44 milhões no Méier, na Lagoa e no Aterro do Flamengo

Por O Dia

Rio - A Operação Segurança Presente prendeu em média um foragido a cada dois dias no Aterro do Flamengo, Méier e Lagoa Rodrigo de Freitas, nos primeiros quatro meses de atuação. Ao todo, foram cumpridos 80 mandados de prisão. Entre dezembro de 2015 e março de 2016, os agentes prenderem 33 pessoas por roubo; 20, por furto; cinco, por homicídio; 13, por tráfico; e nove, por outros crimes. A operação é uma parceria entre o Governo do Estado e o Sistema Fecomércio do Rio.

"A parceria com a Polícia Civil é fundamental para a localização de foragidos que passam pelo Aterro, sem estas informações, não conseguiríamos sozinhos. Estamos conseguindo prender pessoas procuradas por crimes graves como estupro, homicídio e tráfico", afirmou o coordenador da Operação Aterro Presente, onde 57,5% das prisões de foragidos da Justiça ocorreram.

No Méier, na Zona Norte, agentes prenderam, em quatro meses, 14 pessoas com mandados de prisão por roubo e furto, a segunda maior concentração deste tipo de ocorrência na Operação Segurança Presente.

A Operação Segurança Presente foi iniciada em dezembro de 2015, no Méier, na Lagoa Rodrigo de Freitas e no Aterro do Flamengo. O Governo do Estado e o Sistema Fecomércio estão investindo R$ 44 milhões para a realização das três operações, inicialmente por dois anos.

Até a noite de 17/4, os agentes cumpriram 84 mandados de prisão. Além disso, foram realizadas 1.288 prisões. Destas, 837 pessoas foram detidas por porte de entorpecentes, 29 por porte de arma branca e quatro por porte de arma de fogo, 38 por roubo e 81 por furto.

Últimas de Rio De Janeiro