Por tiago.frederico

Rio - Conhecido pela famosa declaração de que a Polícia Militar seria o "melhor inseticida social”, o coronel Marcus Jardim morreu, aos 54 anos, na madrugada desta segunda-feira, no Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, Zona Norte do Rio, onde estava internado. Em 2008, a afirmação do militar inspirou o jornal Meia Hora a manchetar: “Bopecida, O Inseticida da Polícia – Terrível contra os marginais”.

Declaração rendeu manchete do Meia HoraReprodução

Marcus Jardim lutava contra um câncer há cerca de dez anos. Ele deixa uma filha e a mulher. Seu corpo será enterrado às 17h no cemitério Parque da Paz, no Pacheco, em São Gonçalo, e o velório acontece na Capela 1, no setor Orquídea.

Com 31 anos de Polícia Militar, Marcus Jardim era formado em Direito e especialista em Segurança Pública. Por três anos e meio, foi comandante de policiamento da capital fluminense. Comandou também os 7º e o 12º batalhões de Polícia Militar, além de ter sido secretário de Segurança de São Gonçalo.

Coronel Marcus Jardim (esquerda) aparece em foto ao lado do prefeito Rodrigo Neves (PT) e de agentes da Prefeitura de NiteróiBruno Eduardo Alves / Divulgação Prefeitura de Niterói

Em 2013, o Ministério Público pediu à Corregedoria da PM a abertura de Inquérito Policial Militar (IPM) para investigar a ligação do coronel Marcus Jardim com o jogo do bicho. Denúncia feita numa carta anônima dizia que os policiais do 7º BPM (São Gonçalo) receberiam até R$ 80 mil do jogo do bicho. Parte do dinheiro iria para o coronel, então 1º Comando de Policiamento de Área. Na época, ele reagiu: “Nunca recebi dinheiro do bicho”.

LEIA MAIS: Ex-chefe da PM suspeito de ligação com morte de juíza


Você pode gostar