Corpo do jornalista Geneton Moraes Neto será velado nesta quarta

Repórter teve um aneurisma na artéria aorta e estava internado desde maio em um hospital da Zona Sul

Por O Dia

Pernambucano%2C Geneton%2C trabalhava na Globo desde o começo dos anos 1980Reprodução/Facebook

Rio - O corpo do jornalista Geneton Moraes Neto será velado nesta quarta-feira, das 8h às 13h, na capela 6 do cemitério Memorial do Carmo, no Caju, na Zona Portuária do Rio.

Geneton morreu nessa segunda-feira, aos 60 anos, vítima de um aneurisma da aorta. Ele estava internado desde maio na Clínica São Vicente, na Zona Sul.

O jornalista deixa mulher, três filhos e quatro netos. Nascido no Recife, em 13 de julho de 1956, trabalhou por mais de 40 anos no jornalismo.

No jornalismo impresso, passou pelo Diário de Pernambuco e Estado de S. Paulo. Na TV Globo, foi editor e repórter nas sucursais do Nordeste e do Rio de Janeiro. Depois, foi editor executivo do "Jornal da Globo" e do "Jornal Nacional", além de editor-chefe do "Fantástico".

Além disso, foi correspondente da GloboNews e do jornal O Globo em Londres. Desde 2006, estava à frente do programa "Dossiê", na GloboNews.

O jornalista também ficou conhecido por seus livros publicados, como "O Dossiê Drummond: A Última Entrevista do Poeta" e "Hitler/Satalin: O Pacto Maldito", e por seus documentários, como "Canções do Exílio".

Últimas de Rio De Janeiro