Mais Lidas

Roubo a joalherias parte do Fogueteiro

Investigação da Delegacia de Roubos e Furtos aponta que traficante Paulinzinho comanda os ataques em shoppings

Por thiago.antunes

Rio - A Delegacia de Roubos e Furtos (DRF) acredita que as ordens para roubos de joalherias no Rio tenham sido dadas pelo chefe do tráfico de drogas do Morro Santo Amaro, Fallet/Fogueteiro Paulo César Baptista de Castro, o Paulinzinho.

As comunidades estão localizadas em Santa Teresa, na região central, e possuem Unidades de Polícia Pacificadora, o que pode ter levado o traficante a tentar diversificar a atividade criminosa.

A investigação aponta pelo menos quatro assaltos a joalherias, inclusive o último, no BarraShopping, dia 25. “Pelo menos quatro assaltos a joalherias já temos certeza de que foram feitos por homens da quadrilha do Paulinho. Dois deles no Shopping Nova América (Zona Norte); um no Fashion Mall (Zona Oeste), e esse da Barra da Tijuca”, afirmou o delegado Hilton Alonso, da DRF, que reúne todas as investigações a respeito de roubos do tipo.

Paulinzinho possui 12 mandados de prisão preventiva pendentes em oito varas criminais diferentes — o mais antigo data de 2005. Em 2011, policiais da 6ª DP (Cidade Nova) descobriram que Paulinzinho mantinha uma vida de luxo, após ocupação das forças de segurança para a instalação das UPPs.

O Condomínio da Chácara, criado há 59 anos para ser moradia da alta sociedade, foi invadido pelos criminosos cinco anos antes. Uma das casas, usada por Paulizinho, tinha quatro andares, piso de mármore, piscina com hidromassagem e cômodos com acabamento em madeira.

Na época, o bandido se refugiou na Rocinha, a convite de Antonio Bonfim Lopes, o Nem. A polícia acredita que o ouro roubado seja desmanchado oara dar origem a outras peças. “As joias roubadas são derretidas para confecção de peças para os traficantes ou revendidas para comércios que aceitam esse tipo de mercadoria”, disse Alonso.

Sete são identificados

Sete pessoas já foram identificadas por suspeita de participação no roubo a uma joalheria no Barrashopping, na quinta-feira. De acordo com a polícia, dois deles já estão com mandados de prisão expedido: Leandro Gonçalves Ribeiro dos Reis, o Bizunguinha do Fallet, e Douglas Silva dos Santos, o Sansão. Todos são da quadrilha de Paulinzinho e já aparecem em outras três investigações sobre roubos a joalherias.

No assalto, eles conseguiram levar três relógios que foram deixados na joalheria para conserto. Na saída, houve troca de tiros no estacionamento com seguranças do shopping. Os disparos atingiram um carro que estava no local, que ficou com os vidros quebrados. Clientes se protegeram embaixo dos veículos e gravaram áudios relatando o pânico.

Origem de joias de celebridades

Uma outra investigação, de agentes da Delegacia de Combate às Drogas, procura saber a origem da matéria-prima da confecção de peças da TH Joias. Há a suspeita de que o ouro empregado nas peças tenha origem ilícita.

Na sexta-feira, os donos da joalheria, Thiego Raimundo dos Santos Silva e Fabio Fernandes Vila Real, o Parrudo, foram presos. A TH Joias é referência de celebridades que buscam ostentação. Entre os que usam os produtos da marca estão Nego do Borel, MC Gui e os jogadores Neymar e Adriano.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia