Coreia do Norte garante que Donald Trump declarou guerra

Por O Dia

O ministro das Relações Exteriores norte-coreano, Ri Yong-ho, acusou ontem o presidente americano, Donald Trump, de "declarar guerra" à Coreia do Norte e ameaçou derrubar os bombardeiros dos Estados Unidos que se aproximarem do país. No sábado, caças americanos voaram próximo à região costeira norte-coreana para enviar uma "mensagem clara" a Pyongyang, segundo o Pentágono.

"Todos os Estados-membros (da ONU) e o mundo inteiro devem claramente recordar que foram os Estados Unidos que declararam primeiro a guerra ao nosso país", afirmou o ministro a repórteres em Nova York, onde participa da Assembleia-Geral da ONU.

"Desde que os Estados Unidos declararam uma guerra ao nosso país, temos o direito de adotar medidas, inclusive de abater bombardeiros estratégicos, mesmo que não estejam em nosso espaço aéreo", acrescentou.

Panos quentes

A Casa Branca rejeitou categoricamente as acusações de Pyongyang. "Não declaramos guerra à Coreia do Norte e, francamente, uma tal sugestão é absurda", declarou a porta-voz da presidência americana, Sarah Huckabee Sanders.

As operações militares americanas de sábado "foram realizadas no espaço aéreo internacional, em águas internacionais. Nós temos o direito de voar, navegar e operar em todos os lugares onde é legalmente permitido", respondeu o porta-voz do Pentágono, Robert Manning.

No sábado, diante na ONU, Yong-ho já havia denunciado as declarações de Trump contra o seu país, chamando-o de "demente" e "megalomaníaco". Por sua vez, o americano chamara Kim Jong-un de "louco".

Comentários

Últimas de Mundo & Ciência