Políticos e empresários se defendem

Por O Dia

A defesa de Jacob Barata Filho afirmou, em nota, que "A decisão não trouxe novas acusações contra o empresário e se baseou nas mesmas conjecturas que haviam pautado o primeiro decreto de prisão". "Por isso, a defesa pedirá o restabelecimento das medidas que foram ordenadas pela Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal, que já decidiu que a prisão preventiva de Jacob Barata Filho é descabida e pode ser substituída por medidas cautelares".

Picciani afirmou, em nota, que o que aconteceu com seu filho é "covardia feita para atingir somente a mim". O peemedebista também disse que "A Alerj não atua a serviço de grupos de interesse, não interfere em aumento de tarifas e não votou para isenção de IPVA para ônibus, porque isso foi feito por decreto pelo ex-governador, quando eu nem sequer tinha mandato". Ele negou as acusações, assim como Paulo Melo. A defesa de Albertassi não retornou. A Fetranspor disse que está a disposição da Justiça para esclarecimentos.

Comentários

Últimas de Rio De Janeiro