Devagar, parando

Por O Dia

O governo terá que se desdobrar em 2018, ano de eleição, para aprovar seis medidas já previstas no Orçamento que, entre aumento de receitas e diminuição de gastos, representam R$ 23 bilhões 15% da meta fiscal prevista. O problema é que, das seis medidas, apenas uma está pronta para ser votada e encontra resistências: a PEC da Reforma da Previdência. Outras três sequer começaram a tramitar, porque aguardam a instalação das comissões que vão discuti-las. Entre elas está a polêmica MP 805, que aumenta a contribuição previdenciária de servidores.

Contra o tempo

Ainda que consiga articular o apoio para aprovar todas essas matérias, o Palácio precisa ficar de olho no tempo: a MP 805 só teria efeito prático três meses após a aprovação.

Clima natalino

O ministro Dyogo Oliveira, do Planejamento, admite falta de espaço na pauta, mas diz não estar preocupado: "Todo final de ano os deputados fazem aquele esforço extra".

E o lavrador que se...

Faltou cadeira no cafezinho para os deputados atentos na TV ao jogo do Grêmio no Mundial de Clubes. No plenário, vazio, discutia-se a renegociação de dívidas rurais.

Alívio municipal

O deputado Alfredo Kaefer (PSL-PR) ganhou o apoio de peso da Confederação Nacional dos Municípios, uma das entidades mais ouvidas pelo Congresso a representativa dos prefeitos. A CNM apoia a emenda aglutinativa apresentada por Kaefer no texto enxuto da Reforma da Previdência, na qual as alíquotas das administrações municipais não ficam vinculadas à definida pela União.

Fast-office

Pediu, chegou. É assim que o Executivo federal quer que sejam as licitações para compra de material de escritório em 2018. O chamado 'just in time' vai fazer com que as fornecedoras de material entreguem, diariamente, o que cada órgão vai precisar.

PHS na fila

O presidente do PHS no Estado do Rio, Sandro Matos, aprovou o lançamento de candidatura própria do partido a governador. O nome será anunciado em janeiro.

'Nanico' grande

O PHS do Rio segue na contramão de partidos que perdem votos e filiados. Contabiliza 1,4 milhão de votos no estado com sua nominata.

Surpresa boa

A concessão de parcelamento de dívidas tributárias, o Refis, deu resultado. As receitas da União saltaram dos R$ 3,5 bilhões, previstos em novembro, para R$ R$ 5,2 bilhões. "Uma surpresa", indica a Instituição Fiscal Independente, ligada ao Senado.

Refis, o vitalício

Do senador Paulo Paim (PT-RS), ao criticar "propaganda enganosa" da Reforma da Previdência: "Fazem essa reforma agora. Depois vem para cá o tal Refis e perdoa os grandes devedores os empresários grandes".

Demissões

Abastecida com dados de federações de trabalhadores, a bancada do PT na CPMI da JBS quer saber se procedem as informações de demissões do grupo investigado. Há dados, não confirmados pela holding, de milhares de demissões nos frigoríficos e fábricas no Brasil menos nos EUA, onde operam forte.

Retaliação gourmet

O tradicional restaurante Piantella vive um fenômeno de 'desaparecimento' de fotos de políticos do PT (em suas paredes, o ambiente é repleto de imagens de parlamentares flagrados no Congresso). É retaliação de alguns frequentadores. Uma foto de José Dirceu foi localizada atrás do vaso sanitário de um toalete.

Mal na fita

Outro dia, garçons do Piantella encontraram um quadro com a foto de Lula coberta por guardanapos.

Caixa-preta

Continua o mistério da assessoria e direção da Caixa, que não divulgaram a lista e valores dos patrocínios dos últimos dois anos. Nem pela Lei de Acesso à Informação.

Comentários