Janot quer investigar prefeito Eduardo Paes em inquérito contra Aécio Neves

Abertura depende de ministro do Supremo

Por O Dia

Rio -Com base na delação premiada do senador Delcídio do Amaral (sem partido-MS), o Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) autorização para abrir um segundo inquérito para investigar o senador e presidente nacional do PSDB, Aécio Neves (MG), na Operação Lava Jato. Também são alvos do mesmo pedido o deputado federal Carlos Sampaio (PSDB-SP) e o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PMDB).

A Procuradoria quer que os três políticos sejam investigados por suspeita de maquiagem de dados do Banco Rural para esconder o mensalão mineiro. Eles são suspeitos de terem tentado ocultar da CPI dos Correios, em 2005, informações sobre o suposto esquema de compra de votos em troca de apoio parlamentar na Assembleia Legislativa de Minas Gerais durante a gestão do ex-governador Eduardo Azeredo (1995-1999), o chamado mensalão do PSDB.

Paes é acusado de ocultar informações na CPI dos CorreiosLevy Ribeiro / Parceiro / Agência O Dia

Em nota, o prefeito Eduardo Paes informou que “está à disposição da Justiça para prestar esclarecimentos sobre o episódio”. A nota diz que “em nenhum momento o então governador Aécio Neves solicitou qualquer tipo de benefício nas investigações da CPI dos Correios. O prefeito reafirma que, como deputado, teve muito orgulho em ter sido sub-relator geral da CPI dos Correios que desvendou o esquema do mensalão”.

Também em nota, o deputado Carlos Sampaio disse que o pedido de inquérito “é um procedimento corriqueiro da PGR”. Argumentou ainda que não foi acusado de qualquer ilegalidade por Delcídio. Já Aécio afirmou que tem “convicção de que as investigações deixarão clara a falsidade das citações feitas”.

Últimas de Brasil