Homem mata sobrinho e deixa bilhete pedindo para mãe não chamar a polícia

Vítima era acusada de espancar a avó e tinha passagens por crimes de roubo, furto, ameaça e porte ilegal de armas

Por O Dia

Distrito Federal - Um homem foi preso, nesta sexta-feira, acusado de matar o próprio sobrinho a facadas, em Ceilândia, no Distrito Federal. Adalberto Alexander dos Santos Dantas, de 30 anos, confessou que matou Bruno dos Santos Dantas, de 20 anos, enfiando uma faca no pescoço da vítima.

Bilhete em que assassino pede para mãe não chamar a polícia. Ele acusa vítima de espancar a avóDivulgação/Polícia Militar do Distrito Federal

De acordo com o jornal Diário de Ceilândia, Adalberto justificou que Bruno agredia a avó, Dona Auridete, mãe de Adalberto, com frequência. Após matar o sobrinho, o acusado deixou um bilhete pedindo que a mãe não chamasse a polícia.

A Polícia Militar descobriu a morte após um oficial de Justiça ir até a casa onde morava a família para cumprir uma medida protetiva contra Bruno, que havia sido denunciado por maus-tratos contra a avó. Ao chegar, o oficial encontrou sangue na fachada da residência e chamou a polícia.

Dona Auridete falou à PM que não sabia do crime, mas que viu Adalberto sair da casa empurrando um carrinho de mão com um saco plástico dentro, Os policiais, então, encontraram o acusado saindo do matagal próximo a casa, já com o carrinho vazio, onde o corpo de Bruno foi localizado.

O tio disse que matou o sobrinho em legítima defesa. Segundo a polícia, a vítima já havia respondido por roubo, furto, ameaça e porte ilegal de armas. O terreno também era alvo de briga entre os familiares. Adalberto foi encaminhado para a carceragem da delegacia de Ceilândia.

Últimas de Brasil