Odebrecht muda estilo de defesa

Empresa contrata advogado e vai se aproximar da linha mais discreta adotada pela Andrade Gutierrez na defesa sobre envolvimento na Operação Lava Jato

Por O Dia

A Odebrecht resolveu mudar de estratégia: vai baixar a bola. Acaba de contratar o advogado Nabor Bulhões para pôr em prática essa decisão radical. Na contramão das demais empreiteiras, desde a prisão do seu presidente, Marcelo Odebrecht (foto), adotou o seguinte comportamento: tornou a negativa de envolvimento na Lava Jato num bordão sistemático, criticou o juiz Sérgio Moro de forma contundente e apelou para uma nota à imprensa resumindo essa reação considerada emocional.

O presidente da Odebrecht%2C Marcelo OdebrechtReuters

A empresa chegou à conclusão de que esse comportamento está prejudicando a defesa de Marcelo, enquanto a abundância de evidências conspira contra ela. A partir de agora, sob a orientação de Bulhões, vai se aproximar da linha mais discreta adotada pela Andrade Gutierrez.

Tucanos vaiados

O PSDB se robustece na mídia diante da crise que envolve o governo de Dilma Rousseff, mas está longe de ser uma unanimidade. Ontem, representantes dos servidores do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) e do Ministério Público da União (MPU), que reivindicavam reajuste salarial para a categoria, reagiram com vaias às críticas feitas pelos tucanos Cássio Cunha Lima (PB) e Aécio Neves (MG) ao governo no plenário do Senado. O paraibano respondeu com uma provocação: "Respeito as manifestações dos petistas, dos que têm cumplicidade com todo esse esquema de corrupção que o Brasil. Cada um faz sua escolha".

Noves fora...

Avaliação feita em um gabinete da Esplanada dos Ministérios sobre a entrevista da presidente à Folha de S. Paulo: 1) A linguagem impressa evitou o risco de um deslize de linguagem corporal; 2) Boa escolha de timing, uma vez que a presidente viajou e deixou o vácuo de uma semana sem a voz do Planalto; 3) O problema foi a frase "Não vou cair", passando a impressão de que está sendo julgada.

Primeiro passo

A comissão de Viação e Transportes da Câmara vota hoje projeto de lei que regulamenta a profissão dos aeronautas (pilotos, comissários, técnicos). São significativos os ganhos de direitos da categoria em questões que acumulam queixas de anos, como folgas, jornadas de trabalho e remuneração. A escala de serviço passa de semanal a mensal e a remuneração calculada por horas de voo e não por quilometro percorrido. A relatora Clarissa Garotinho (PR-RJ) parece haver aproximado interesses de funcionários e empresas aéreas. E o passageiro, obviamente, viajará mais seguro.

Últimas de _legado_Notícia