Ferreira Gullar assume cadeira 37 da Academia Brasileira de Letras

Posto já foi ocupado por Assis Chateaubriand e Getúlio Vargas

Por O Dia

Cerimônia de posse acontecerá em 2015Cristina Lacerda / Divulgação

Rio - O escritor maranhense Ferreira Gullar, de 84 anos, foi eleito nesta sexta-feira o novo imortal da Academia Brasileira de Letras. Gullar ocupará a partir de agora a cadeira de número 37, que já pertenceu a Ivan Junqueira, João Cabral de Melo Neto, Assis Chateaubriand e Getúlio Vargas. A cerimônia de posse acontecerá em 2015. 

Poeta, tradutor, dramaturgo, ensaísta e crítico de arte, Gullar tem toda a sua obra poética editada pela José Olympio, que recentemente relançou seus títulos com novíssimo projeto gráfico. Entre os livros estão A luta
corporal (1954), que influenciou toda uma geração; Poema Sujo (1976), considerado um marco da literatura brasileira e traduzido para diversas línguas; e Em alguma parte alguma (2010), que em 2011 ganhou o Prêmio
Jabuti.

José Ribamar Ferreira, conhecido como Ferreira Gullar, nasceu em São Luís do Maranhão, em 1930. Em 1951, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde trabalhou em jornais e revistas. Em 1954, publicou A luta corporal. No início dos anos 1960, passou a escrever poesia de participação social. Por motivos políticos, morou fora do país de 1971 a 1977.

Vários de seus livros já receberam os mais importantes prêmios de literatura, inclusive seus poemas para crianças. Gullar destacou-se também como crítico de arte e roteirista de televisão. Sua poesia é lírica, participativa, de profunda preocupação com o ser humano. Em 2010, o autor foi agraciado com o Prêmio Camões, a mais importante premiação literária da língua portuguesa.

Últimas de Diversão