Aniversário do Rio é comemorado com arte em diferentes pontos da cidade

Confira a programação, escolha o local e participe da festa

Por O Dia

Rio - Em época de crise e obras intermináveis na Cidade Maravilhosa, os cariocas vão receber um alívio. Este fim de semana, a Secretaria Municipal de Cultura planejou uma programação com 35 atrações espalhadas em diferentes pontos para comemorar os 451 anos do Rio de Janeiro. Tem peças, shows, debate, dança, espetáculos infantis e exposições. Tudo a preços populares ou de graça.

GALERIA: Confira a programação completa do aniversário do Rio

Em comemoração aos 451 anos, Rio ganha festa a preços populares Divulgação

Para que todos aproveitem ao máximo os eventos, Robson Camilo, coordenador de equipamentos culturais da Secretaria de Cultura, explica que o fim de semana foi a escolha ideal. “Precisamos levantar a autoestima do carioca, fazer com que ele se sinta valorizado e veja que produz uma cultura de qualidade. O cidadão passa a ter informação do espaço que existe ao lado de casa, dá visibilidade à produção cultural da cidade, pois concentra o esforço numa data importante, e são datas que precisam ser comemoradas”, afirma o secretário.

Quem gostou do projeto foi Fernanda Torres, que apresenta a peça ‘A Casa dos Budas Ditosos’, em Madureira, hoje, às 20h, na Arena que leva o nome do pai, Fernando Torres. “Eu cresci com meus pais fazendo turnê pelo subúrbio inteiro, então sou muito grata às arenas e fico muito feliz do teatro poder voltar a circular”, afirma. Para a atriz, essa circulação da cultura é necessária pois “é urbanizar bairros abandonados. Ter segurança no bairro traz a cultura e ela é capaz de aliviar a violência”.

Sobre o monólogo baseado no livro do escritor João Ubaldo Ribeiro, que conta a história da vida sexual de uma baiana de 68 anos, Fernanda analisa os assuntos abordados. “O bonito da peça é que é um depoimento do Ubaldo sobre a formação da sexualidade naquela época e a Bahia é um estado avançado nessa questão”, aponta. A peça dá um tempero baiano ao aniversário da cidade. “O Rio ainda tem a áurea cosmopolita de quem foi capital e foi uma cidade que muitos artistas adotaram. Sou ligada a ele pela natureza. Mas lamento o carioca jogar lixo nas praias”, diz.

Outra artista, que adora o Rio, é a cantora paulistana Luciana Coló que mora na cidade desde os 2 anos. “O Rio tem de melhor a boa malandragem”, afirma. Ela se apresenta hoje, às 18h, no Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica. Os Ingressos custam apenas R$ 1. 

Reportagem Guilherme Guagliardi

Veja a programação completa:

TEATRO

CAMARÃO AZUL.
Peça futurista sobre uma experiência quântica realizada dentro de uma cápsula espacial com um agente de segurança do governo. Ele vive situações inusitadas e seu comportamento definirá se ele é fiel ao juramento de sacrificar-se pelo seu país. Com a Cia. Teatral Fala Baixo que O Breno Está Dormindo, Zeca Richa e Nelson Yabeta. Texto e direção de Rogério Blat. 14 anos. Parque das Ruínas. Rua Murtinho Nobre 169, Santa Teresa (2215-0621). Sextas e sábados, às 20h, e domingos, às 19h30. R$ 30. Até 27 de março.

A CASA DOS BUDAS DITOSOS.
Depois de reabrir o Teatro Municipal Ziembinski, a peça chega à Arena Carioca Fernando Torres, em Madureira. Dirigido por Domingos Oliveira, o monólogo A Casa dos Budas Ditosos é inspirado no texto homônimo do escritor João Ubaldo Ribeiro. Em cena, Fernanda Torres dá vida a uma senhora baiana que relembra grandes momentos de sua vida sexual. A comédia afrodisíaca leva o público a refletir sobre o moralismo e os costumes. 18 anos. Arena Carioca Fernando Torres. R. Bernardino de Andrade 200, Madureira (3495-3078). Sexta (4), 20h. R$ 20.

CHABADABADÁ – MANUAL PRÁTICO DO MACHO-JURUBEBA
As crônicas do escritor Xico Sá inspiram o monólogo no qual o ator Marcos França dá vida ao radialista Francisco Reginaldo, que dá conselhos amorosos e conta de suas aventuras e desventuras. Neste programa de rádio AM, os ouvintes vão curtir canções de Wando. Direção de Thelmo Fernandes. Direção musical de André Siqueira. Com Marcos França. 12 anos. Teatro Ipanema. Rua Prudente de Moraes 824 A, Ipanema (2267-3750). Sexta adomingo, às 20h. R$ 40. Até 27 de março.

CONSCERTO DO DESEJO
O nome do espetáculo é assim mesmo com “s” e “c”. Poucas palavras se confundem tanto em nossa língua quanto “concerto” e “conserto”. As duas palavras se mesclam vertiginosamente neste monólogo existencial estrelado por Matheus Nachtergaele. Ao lado de Luã Belik (violão) e Henrique Rohrmann (violino), o ator leva ao palco os poemas escritos por sua mãe, Maria Cecília Nachtergaele, que morreu em 1968, quando ele tinha apenas 3 anos. Estreia no dia 4. 16 anos. Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto. Rua Humaitá 163, Humaitá (2535-3846). Sexta a domingo, 20h30. R$ 40.

NADA MENOS QUE MUITO
Celebra os seus 10 anos de carreira do dramaturgo carioca Jô Bilac. Com direção e adaptação de Roberto Lima e Dudu Gama, a montagem explora a temática da cidade, com um aspecto comum em todas as histórias: o homem contemporâneo atravessado por suas neuroses, medos e desejos.Com Alda Pessoa, Araci Breckenfeld, Fernanda Báfica, Mariana Queiroz e elenco. 16 anos.Teatro Municipal Maria Clara Machado. Rua Padre Leonel Franca 240, Gávea (2274-7722). Sábado e domingo, 19h30. R$ 20. Até 27 de março.

OITO DE MARÇO
História da greve que as tecelãs de uma fábrica de tecidos em Nova Iorque fizeram pela redução da jornada de trabalho. Violentamente reprimidas, as operárias acuadas refugiaram-se nas dependências da fábrica. No dia 8 de março de 1857 os patrões, com ajuda da polícia, trancaram as portas da fábrica e atearam fogo, onde 129 tecelãs morreram carbonizadas. Texto e direção de Gilson de Barros. Com Hebe Cabral, Joelma de Paula, Dâmaris Grün, Rita Grego, Dani Rougemount, Rosana Reategui, Márcia Valéria, Eunice Simeão, Marcos Hamelin e Gilson de Barros.14 anos. Centro Cultural Municipal Parque das Ruínas. Rua Murtinho Nobre 169, Santa Teresa (2215-0621). Domingos, às 16h. R$ 30. Até 27 de março.

RIOS DE POESIA
Para celebrar os 451 anos do Rio, o Grupo de Teatro da Arena apresenta o espetáculo Rios de Poesia. Livre. Arena Carioca Abelardo Barbosa Chacrinha. Domingo (6), 16h. Grátis.


SHOW


BAILE DA CIDADE MARAVILHOSA.
A Arena Carioca, em Guaratiba, promove um baile carnavalesco pra celebrar os 451 anos do Rio. 16 anos. Arena Carioca Abelardo Barbosa Chacrinha. Sábado (5), 20h. Grátis.

CIRCUITO SAIDEIRA MUSICAL
Depois de se apresentar nos dias 1º e 3 de março no Parque das Ruínas e no Teatro Municipal Gonzaguinha, a cantora Eliana Pittman sobe ao palco do Centro da Música Carioca Artur da Távola para noite de jazz e bossa-nova na sexta (4), 19h30. Já a cantora Luciana Coló: homenageia Moreira da Silva e o samba de breque: sexta (4), às 18h, no Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica, e sábado (5), às 19h30, no Centro da Música Carioca Artur da Távola. R$ 1.

COISAS DE BRECHÓ
Com supervisão de Amir Haddad, a peça propõe ao espectador uma verdadeira viagem no tempo. Com canções ao vivo e ação cênica, esta comédia musical presta tributo a artistas como Roberto Carlos, Nélson Ned e Odair José, fazendo um resgate da música romântica brasileira. Direção, concepção e roteiro de Fátima Bernardes Leite. Com Fátima Bernardes Leite, Paola Castilho, Osvan Costa, Cláudio Xerez, Ernesto Rios, Yan Guimarães e Rodrigo Borba. 18 anos. Teatro Municipal Café Pequeno. Avenida Ataulfo de Paiva 269, Leblon (2294-4480). Sexta (4) a domingo (6), 20h. R$ 40.

A COR DO SOM
Pioneiros na fusão de ritmos brasileiros com a linguagem do rock, o grupo formado por Mú Carvalho (teclados), Dadi (baixo e guitarra), Armandinho (guitarra, bandolim e guitarra baiana), Gustavo Schroeter (bateria) e Ary Dias (percussão) nasceu em 1977 introduzindo instrumentos elétricos na instrumentação tradicionalmente acústica do chorinho, além de misturar rock com ritmos regionais e música clássica. No repertório, sucessos como "Zanzibar", "Beleza Pura", "Menino Deus", "Semente do Amor" e "Abri a Porta", entre outras. 16 anos. Imperator – Centro Cultural João Nogueira. Sexta (4), às 21h. R$ 60.

CURVEX
O grupo reúne cantoras, musicistas e compositoras de diferentes lugares do Brasil. No repertório, músicas próprias e releituras inusitadas. Com Adriana Soares (guitarra), Ana Sucha (bateria), Clara Valente (piano), Tamara Janson (baixo), Fernanda Vaz (flauta) e Gisa Pithan (violão). Na voz, Lica Tito, Luciane Dom, Mari Blue, Roberta Spindel, Vanessa Longoni e Dani Calazans. Livre. Centro Cultural Municipal Parque das Ruínas. Rua Murtinho Nobre 169, Santa Teresa (2215-0621). Sábado (5), 17h. Grátis.

LINIKER
Projeto musical que conecta a blackmusic e o soul à música contemporânea brasileira, com composições autorais em português que trazem como tema central as relações e o amor. Com arranjos que mostram uma guitarra funkeada, baixo, bateria swingada e sopros, Liniker apresenta as músicas dançantes de seu EP de lançamento, CRU. 16 anos. Imperator – Centro Cultural João Nogueira. Sexta (5), 21h. R$ 50.

LOGARITMO INSTRUMENTAL
Com uma sonoridade que vai do samba de partido alto até o jazz, passando por ritmos latinos, baião e frevo o grupo embala o público com Guilé Santos (baixo), Will Marinho (sax), Otávio Carvalho (teclado), Luiz Janela (guitarra), Daniel Novais (bateria) e Kaká Nomura (percussão). Livre. Centro Cultural Municipal Parque das Ruínas. Rua Murtinho Nobre 169, Santa Teresa (2215-0621). Domingo (6), 17h. Grátis.

LUCAS & ORELHA. Dentro da programação do projeto Jovens Tardes, a dupla Lucas & Orelha apresenta seu funk melody. Livre.Arena Carioca Jovelina Pérola Negra. Domingo (6), 18h. Grátis.

NELSON SARGENTO
O baluarte mangueirense celebra os 90 anos com uma turnê que celebra um dos maiores nomes do samba carioca. Na companhia do grupo Galo Preto, revisita sucessos de Cartola e outros grandes nomes.Participação especial de Pedro Miranda. Livre. Arena Carioca Carlos Roberto Oliveira - Dicró.Sexta e sábado, 20h. Domingo, 19h. R$ 20.


DANÇA


NOSSA BOSSA NOVA GENTE
A Cia. de Ballet do Rio de Janeiro apresenta espetáculo inspirado na história da Bossa Nova e seus expoentes, como Antonio Carlos Jobim, Vinicius de Moraes, João Gilberto, Carlos Lyra, Roberto Menescal, Nara Leão, Ronaldo Bôscoli, Baden Powell e muitos outros. Todos eles jovens músicos, compositores e intérpretes que, cansados do estilo operístico que dominava a música brasileira até então, buscaram algo realmente novo, que traduzisse seu estilo de vida. Livre. Imperator – Centro Cultural João Nogueira. Domingo (6), 19h. R$30.

SWING ON SUNDAYS
O grupo RIO HOPPERS se dedica a divulgar e desenvolver as swing dances no Rio de Janeiro, em especial a Lindy Hop. O grupo atua com professores, performers e organizadores, que reverenciam a cultura afro-americana dos anos 20 aos anos 40. O grupo oferece aulas gratuitas de nível iniciante, seguidos de baile. Para praticar e desfrutar o domingo com dança e música. O evento é um convite para voltar no tempo e conhecer sobre as danças populares que já fizeram muito sucesso. Livre. Centro Cultural Municipal Oduvaldo Vianna Filho - Castelinho do Flamengo. Domingo (6), 14h. Grátis (sujeito a lotação da turma).


DEBATE


BIBLIOTECA RIO450
Para celebrar um dos legados das comemorações de 450 anos do Rio de Janeiro, a Secretaria Municipal de Cultura realiza tarde de autógrafos com os autores dos livros da coleção Biblioteca Rio450 na sexta (4), às 16h, na Biblioteca Parque do Estado. Por meio do programa de fomento da Secretaria Municipal de Cultura e do trabalho de articulação realizado pelo Comitê Rio450, foram publicados quase 30 títulos sobre a história e o repertório artístico-cultural do Rio de Janeiro. O encontro será aberto por um debate com os historiadores Maria Inez Turazzi, Nireu Cavalcanti e Paulo Knauss. Os livros da biblioteca Rio450 estarão à venda. Livre. Biblioteca Parque Estadual. Sexta (4), 16h. Grátis.

EXPOSIÇÃO


CALUNGAS
O gravurista Marcos Varela presenta parte da série Calungas, desenvolvidas a partir de 2013. Entre os vários significados desta palavra, além de bonecos do maracatu nordestino, encontramos também: “pessoas de tamanho reduzido, pessoas pequenas e por extensão, pessoas não importantes”. O título Calungas remete tanto às pequenas dimensões das xilogravuras como às figuras, que são traçadas em gestos expressivos e precisos, onde o insólito se revela de maneira direta e sintética. Abertura no domingo (6). Curadoria de Eliane Santos. Livre. Centro Cultural Municipal Laurinda Santos Lobo. Terça a domingo, 10h às 19h. Grátis. Até 31 de março.

CARLOS SCLIAR – DESENHOS DE GUERRA
Nesta retrospectiva, o gravurista e pintor que aliou a geometria às naturezas mortas apresenta uma faceta menos conhecida de sua produção. Combatente da Força Expedicionária Brasileira na 2ª Guerra, Scliar fez uma série de desenhos sobre a sua participação no conflito. Livre. Memorial Municipal Getúlio Vargas. Terça a domingo, 10h a 17h. Grátis.

FERNANDO LINDOTE: TRAIR MACUNAÍMA E AVACALHAR O PAPAGAIO
Por meio da trajetória do gaúcho Fernando Lindote, a exposição com cerca de 180 obras explora o constante procedimento mórfico experimentado pelo artista. As distorções, deformações e transformações que compõem o processo de constante metamorfose das linguagens estão presentes em toda a trajetória de Fernando Lindote. Com curadoria de Paulo Herkenhoff e cocuradoria de Clarissa Diniz e Leno Veras, a exposição, composta por quatro núcleos, traz desenhos, ilustrações, pinturas e esculturas do acervo e autoria de Lindote. Com o Bilhete Único dos Museus, é possível comprar a entrada do MAR e do Museu do Amanhã com 20% de desconto. Livre. Museu de Arte do Rio. Terça a domingo, das 10h às 18h. R$ 10 (Grátis às terças).

NADA ACABARÁ, NADA AINDA COMEÇOU
O artista Raul Leal utiliza na exposição material ligado a eventos músicais ocorridos no Palácio do Catete e no país, tendo a figura de Nair de Teffé como fio condutor. Traçando paralelos entre esses eventos, criando atritos e conexões, a mostra não pretende exibir respostas, mas sim criar perguntas e questionamentos. Serão apresentados trabalhos em pintura, texto e vídeo, formando uma instalação que ocupará todo o espaço da galeria do centro cultural. Livre. Centro da Música Carioca Artur da Távola. Terça a domingo, das 10h às 18h. Grátis. Até 3 de abril.

PASSEIO DAS BARATAS
E se pudéssemos olhar o mundo com outros olhos, muito, muito antigos? E se este outro olhar nos permitisse ver a nós mesmos de um modo muito diferente? E se o tempo deixasse de ser uma preocupação? Os artistas do coletivo Superflex convidam os visitantes do Museu do Amanhã para uma aventura inusitada pelos espaços do Museu, na qual a exploração dos Amanhãs possíveis é feita a partir da perspectiva de um bichinho que costuma nos pregar grandes sustos, mas que já assistiu os dinossauros chegarem e partirem, e compartilha conosco a capacidade de viver em todos os lugares do planeta. Apresentamos a vocês, amigas e amigos, o Grande Passeio das Baratas! É necessário agendar. Livre. Museu do Amanhã. Sábado (5) e domingo (6), às 11h e às 15h. R$ 10.

PASSINHO CARIOCA - O REGISTRO DE UMA HISTÓRIA
Na exposição de fotografias, o público pode ver fotos de meninos e meninas das favelas do Rio de Janeiro que dançam e representam o “Passinho”. Os registros foram feitos pelos fotógrafos Douglas Jacó e Thiago de Paula – ex-alunos do Curso de Fotografia da Central Única das Favelas (CUFA)’. A curadoria é do fotógrafo e professor Lucas Andrade. Livre. Arena Carioca Carlos Roberto de Oliveira – Dicró. Av. Brás de Pina, s/n – Penha (Parque Ary Barroso). Terça a sexta, 13h às 21h. Sábados, domingos e feriados, 10h às 21h. Grátis.

O POEMA INFINITO DE WLADEMIR DIAS-PINO
Com curadoria de Evandro Salles, a mostra reúne mais de 800 peças entre livros, cartazes, objetos, fotografias, desenhos, vídeos e instalações para contar a história de quase 90 anos de Wlademir Dias-Pino – seus diversos focos de trabalho, a atuação política na fundação da Universidade da Selva (hoje Universidade Federal do Mato Grosso) e a intensa atividade como teórico do design e programador visual. A exposição toma como eixo central quatro poemas: O dia da cidade, Ave, Solida e Numéricos. Abertura no dia 1º de março, às 16h, com a presença do artista para uma conversa. Com o Bilhete Único dos Museus, é possível comprar a entrada do MAR e do Museu do Amanhã com 20% de desconto. Livre. Museu de Arte do Rio. Terça a domingo, das 10h às 17h. R$ 10 (Grátis às terças).

RIO SETECENTISTA, QUANDO O RIO VIROU CAPITAL
Exposição que traça um panorama das transformações ocorridas durante o século 18, época em que cidade se tornou a capital do Vice-Reino do Brasil (1763). Com curadoria de Myriam Andrade Ribeiro de Oliveira, Anna Maria Fausto Monteiro de Carvalho, Margareth da Silva Pereira e Paulo Herkenhoff, a mostra comemora os 450 anos da fundação do Rio propondo um trajeto visual para adentrar esse século de sua história. A descoberta das minas de ouro no país, as invasões francesas, a execução de Tiradentes são momentos fortes desse processo e estarão retratados na exposição. São cerca de 700 peças – incluindo vasta documentação, objetos da época, ilustrações, pinturas, artefatos religiosos e obras de arte contemporânea – de artistas anônimos e aclamados como Mestre Valentim, Adriana Varejão, Guignard, Augusto Malta, Vasco Araújo, Pierre Verger, Carlos Julião, Rugendas e Debret, entre outros. Com o Bilhete Único dos Museus, é possível comprar a entrada do MAR e do Museu do Amanhã com 20% de desconto. Livre. Museu de Arte do Rio. Terça a domingo, das 10h às 17h. R$ 10 (Grátis às terças).

TIRADENTES CULTURAL
A primeira edição de 2016 comemora as águas de março que fecham o verão. Contaremos com performance dos alunos da escola de dança do CCC, Trio Lu Fogaça, artistas da distribuidora Descole Música, DJ, Oficina de máscara com sucata e a feira gastronômica com produtos de até 22 reais. Livre. Praça Tiradentes. Sábado (5), 14h às 21h. Informações em facebook.com/tiradentescultural.


INFANTIL


BAÚ DE BRASIS
Espetáculo infantil de Contação de Histórias musicadas sobre o folclore brasileiro, lendas, mitos e cantigas das regiões do Brasil. O espetáculo alia o teatro, história e canções, com instrumentos tocados ao vivo (violão, clarineta e percussão). A utilização de figurinos e adereços criativos e alegres colaboram na composição cênica. Baú de Brasis busca resgatar as tradições da cultura oral passada de geração para geração. Com Lídia Quadros (cantora, instrumentista e atriz), Marcelo Santana (ator e diretor) e Daniel Mariano (violonista). Livre. Centro Cultural Municipal Parque das Ruínas. Rua Murtinho Nobre 169, Santa Teresa (2215-0621). Domingos, às 12h. Grátis. Até 27 de março. Grátis.

ERA UMA VEZ – BEBÊS
Acreditando que os bebês são capazes de se relacionar com diferentes propostas culturais, a mediadora Roberta Consort realiza sessões de leitura de histórias para bebês de três meses a três anos de idade, incentivando a participação dos adultos para familiarizar as crianças com a literatura. Direção, criação e concepção artística de Roberta Consort. Narração de Roberta Consorte. Livre. Centro Cultural Municipal Parque das Ruínas. Rua Murtinho Nobre 169, Santa Teresa (2215-0621). Sábados (5 e 19), às 10h. R$ 20.

MIGUEL, O INVISÍVEL
Encerrada a temporada de Leituras Dramatizadas, a produtora Portal 44 apresenta a peça “Miguel, o Invisível”. Com uma linguagem leve, coloquial, o texto aborda o universo infantojuvenil, com temas atuais como o buylling e a diversidade sociocultural. No elenco, jovens talentosos como Miguel Arraes, Karize Brum, Anna Rita Cerqueira, Lucas Cotrim, Vitor Navega Motta e Caio Lucas, entre outros. 10 anos. Teatro Municipal Gonzaguinha. Sextas e sábados, às 19h e às 18h. R$30. Até 26 de março.

NEIDE KOCCA
No espetáculo, a atriz, contadora de histórias e arte educadora Neide Kocca vem agregando música do universo infantil à contação de histórias de forma harmônica e divertida, possibilitando aos ouvintes sentir importantes emoções como o bem-estar, o encantamento, a alegria e curiosidade, vividos profundamente a cada narrativa. O evento faz parte do Domingo das Crianças. Livre. Centro da Música Carioca Artur da Távola.Domingo (6), 16h. R$ 20.

ORFEU, O MENINO QUE SONHAVA EM SAMBA
O espetáculo é uma releitura do mito de Orfeu, adaptada para o universo do samba. Na versão, Orfeu decide escrever um samba onde declara seu amor à menina Eurídice, mas a inspiração o abandonou. Para piorar, seus melhores amigos estão com ciúmes e sua família não consegue entender sua falta de criatividade. Texto e direção de Andréa Cevidanes. Direção musical de Rildo Hora. Com Aron Costa, Felipe Arouca, Fernando Fernandes, Isabela Rangel, Lucas Ferraz, Mariah Dantas, Rafael Lima, Fernanda Cezar e Nelson Borges. Livre. Centro Cultural Municipal Parque das Ruínas. Rua Murtinho Nobre 169, Santa Teresa (2215-0621). Domingo (6), 11h. R$ 30.

PAMONHA E PANACA
Dois amigos inseparáveis, sem rumo na vida, travam uma disputa: um quer ser melhor que o outro. Nesse duelo cômico, eles desenvolvem um relacionamento absurdo, onde impera o individualismo e o imediatismo, agravando a situação. A peça é uma crônica burlesca sobre o comportamento humano no exercício do poder, por menor que ele seja. Em cena, Ricardo Blat e Nelson Yabeta incorporam dois palhaços que tentam sobreviver sem esforço. Texto e Direção de Rogério Blat. Com Ricardo Blat e Nelson Yabeta. Livre. Centro Cultural Municipal Parque das Ruínas. Rua Murtinho Nobre 169, Santa Teresa (2215-0621). Sábado, 16h. R$ 30. Até 26 de março.

PALAVRA VIVA
Mediada pelo grupo Manguinhos Em Cena, a contação de histórias teatralizadas estimula o hábito da leitura em crianças e adolescentes e desenvolve a criatividade, inteligência e sociabilidade. Através da apresentação de autores nacionais às crianças e aos adolescentes, o grupo perpetua, assim, a tradição da transmissão oral. Livre. Centro Cultural Municipal Laurinda Santos Lobo. Sábado (5) e domingo (6), 15h. Grátis. 



Últimas de Diversão

Aniversário do Rio é comemorado com arte em diferentes pontos da cidade O Dia - Diversão

Aniversário do Rio é comemorado com arte em diferentes pontos da cidade

Confira a programação, escolha o local e participe da festa

Por O Dia

Rio - Em época de crise e obras intermináveis na Cidade Maravilhosa, os cariocas vão receber um alívio. Este fim de semana, a Secretaria Municipal de Cultura planejou uma programação com 35 atrações espalhadas em diferentes pontos para comemorar os 451 anos do Rio de Janeiro. Tem peças, shows, debate, dança, espetáculos infantis e exposições. Tudo a preços populares ou de graça.

GALERIA: Confira a programação completa do aniversário do Rio

Em comemoração aos 451 anos, Rio ganha festa a preços populares Divulgação

Para que todos aproveitem ao máximo os eventos, Robson Camilo, coordenador de equipamentos culturais da Secretaria de Cultura, explica que o fim de semana foi a escolha ideal. “Precisamos levantar a autoestima do carioca, fazer com que ele se sinta valorizado e veja que produz uma cultura de qualidade. O cidadão passa a ter informação do espaço que existe ao lado de casa, dá visibilidade à produção cultural da cidade, pois concentra o esforço numa data importante, e são datas que precisam ser comemoradas”, afirma o secretário.

Quem gostou do projeto foi Fernanda Torres, que apresenta a peça ‘A Casa dos Budas Ditosos’, em Madureira, hoje, às 20h, na Arena que leva o nome do pai, Fernando Torres. “Eu cresci com meus pais fazendo turnê pelo subúrbio inteiro, então sou muito grata às arenas e fico muito feliz do teatro poder voltar a circular”, afirma. Para a atriz, essa circulação da cultura é necessária pois “é urbanizar bairros abandonados. Ter segurança no bairro traz a cultura e ela é capaz de aliviar a violência”.

Sobre o monólogo baseado no livro do escritor João Ubaldo Ribeiro, que conta a história da vida sexual de uma baiana de 68 anos, Fernanda analisa os assuntos abordados. “O bonito da peça é que é um depoimento do Ubaldo sobre a formação da sexualidade naquela época e a Bahia é um estado avançado nessa questão”, aponta. A peça dá um tempero baiano ao aniversário da cidade. “O Rio ainda tem a áurea cosmopolita de quem foi capital e foi uma cidade que muitos artistas adotaram. Sou ligada a ele pela natureza. Mas lamento o carioca jogar lixo nas praias”, diz.

Outra artista, que adora o Rio, é a cantora paulistana Luciana Coló que mora na cidade desde os 2 anos. “O Rio tem de melhor a boa malandragem”, afirma. Ela se apresenta hoje, às 18h, no Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica. Os Ingressos custam apenas R$ 1. 

Reportagem Guilherme Guagliardi

Veja a programação completa:

TEATRO

CAMARÃO AZUL.
Peça futurista sobre uma experiência quântica realizada dentro de uma cápsula espacial com um agente de segurança do governo. Ele vive situações inusitadas e seu comportamento definirá se ele é fiel ao juramento de sacrificar-se pelo seu país. Com a Cia. Teatral Fala Baixo que O Breno Está Dormindo, Zeca Richa e Nelson Yabeta. Texto e direção de Rogério Blat. 14 anos. Parque das Ruínas. Rua Murtinho Nobre 169, Santa Teresa (2215-0621). Sextas e sábados, às 20h, e domingos, às 19h30. R$ 30. Até 27 de março.

A CASA DOS BUDAS DITOSOS.
Depois de reabrir o Teatro Municipal Ziembinski, a peça chega à Arena Carioca Fernando Torres, em Madureira. Dirigido por Domingos Oliveira, o monólogo A Casa dos Budas Ditosos é inspirado no texto homônimo do escritor João Ubaldo Ribeiro. Em cena, Fernanda Torres dá vida a uma senhora baiana que relembra grandes momentos de sua vida sexual. A comédia afrodisíaca leva o público a refletir sobre o moralismo e os costumes. 18 anos. Arena Carioca Fernando Torres. R. Bernardino de Andrade 200, Madureira (3495-3078). Sexta (4), 20h. R$ 20.

CHABADABADÁ – MANUAL PRÁTICO DO MACHO-JURUBEBA
As crônicas do escritor Xico Sá inspiram o monólogo no qual o ator Marcos França dá vida ao radialista Francisco Reginaldo, que dá conselhos amorosos e conta de suas aventuras e desventuras. Neste programa de rádio AM, os ouvintes vão curtir canções de Wando. Direção de Thelmo Fernandes. Direção musical de André Siqueira. Com Marcos França. 12 anos. Teatro Ipanema. Rua Prudente de Moraes 824 A, Ipanema (2267-3750). Sexta adomingo, às 20h. R$ 40. Até 27 de março.

CONSCERTO DO DESEJO
O nome do espetáculo é assim mesmo com “s” e “c”. Poucas palavras se confundem tanto em nossa língua quanto “concerto” e “conserto”. As duas palavras se mesclam vertiginosamente neste monólogo existencial estrelado por Matheus Nachtergaele. Ao lado de Luã Belik (violão) e Henrique Rohrmann (violino), o ator leva ao palco os poemas escritos por sua mãe, Maria Cecília Nachtergaele, que morreu em 1968, quando ele tinha apenas 3 anos. Estreia no dia 4. 16 anos. Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto. Rua Humaitá 163, Humaitá (2535-3846). Sexta a domingo, 20h30. R$ 40.

NADA MENOS QUE MUITO
Celebra os seus 10 anos de carreira do dramaturgo carioca Jô Bilac. Com direção e adaptação de Roberto Lima e Dudu Gama, a montagem explora a temática da cidade, com um aspecto comum em todas as histórias: o homem contemporâneo atravessado por suas neuroses, medos e desejos.Com Alda Pessoa, Araci Breckenfeld, Fernanda Báfica, Mariana Queiroz e elenco. 16 anos.Teatro Municipal Maria Clara Machado. Rua Padre Leonel Franca 240, Gávea (2274-7722). Sábado e domingo, 19h30. R$ 20. Até 27 de março.

OITO DE MARÇO
História da greve que as tecelãs de uma fábrica de tecidos em Nova Iorque fizeram pela redução da jornada de trabalho. Violentamente reprimidas, as operárias acuadas refugiaram-se nas dependências da fábrica. No dia 8 de março de 1857 os patrões, com ajuda da polícia, trancaram as portas da fábrica e atearam fogo, onde 129 tecelãs morreram carbonizadas. Texto e direção de Gilson de Barros. Com Hebe Cabral, Joelma de Paula, Dâmaris Grün, Rita Grego, Dani Rougemount, Rosana Reategui, Márcia Valéria, Eunice Simeão, Marcos Hamelin e Gilson de Barros.14 anos. Centro Cultural Municipal Parque das Ruínas. Rua Murtinho Nobre 169, Santa Teresa (2215-0621). Domingos, às 16h. R$ 30. Até 27 de março.

RIOS DE POESIA
Para celebrar os 451 anos do Rio, o Grupo de Teatro da Arena apresenta o espetáculo Rios de Poesia. Livre. Arena Carioca Abelardo Barbosa Chacrinha. Domingo (6), 16h. Grátis.


SHOW


BAILE DA CIDADE MARAVILHOSA.
A Arena Carioca, em Guaratiba, promove um baile carnavalesco pra celebrar os 451 anos do Rio. 16 anos. Arena Carioca Abelardo Barbosa Chacrinha. Sábado (5), 20h. Grátis.

CIRCUITO SAIDEIRA MUSICAL
Depois de se apresentar nos dias 1º e 3 de março no Parque das Ruínas e no Teatro Municipal Gonzaguinha, a cantora Eliana Pittman sobe ao palco do Centro da Música Carioca Artur da Távola para noite de jazz e bossa-nova na sexta (4), 19h30. Já a cantora Luciana Coló: homenageia Moreira da Silva e o samba de breque: sexta (4), às 18h, no Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica, e sábado (5), às 19h30, no Centro da Música Carioca Artur da Távola. R$ 1.

COISAS DE BRECHÓ
Com supervisão de Amir Haddad, a peça propõe ao espectador uma verdadeira viagem no tempo. Com canções ao vivo e ação cênica, esta comédia musical presta tributo a artistas como Roberto Carlos, Nélson Ned e Odair José, fazendo um resgate da música romântica brasileira. Direção, concepção e roteiro de Fátima Bernardes Leite. Com Fátima Bernardes Leite, Paola Castilho, Osvan Costa, Cláudio Xerez, Ernesto Rios, Yan Guimarães e Rodrigo Borba. 18 anos. Teatro Municipal Café Pequeno. Avenida Ataulfo de Paiva 269, Leblon (2294-4480). Sexta (4) a domingo (6), 20h. R$ 40.

A COR DO SOM
Pioneiros na fusão de ritmos brasileiros com a linguagem do rock, o grupo formado por Mú Carvalho (teclados), Dadi (baixo e guitarra), Armandinho (guitarra, bandolim e guitarra baiana), Gustavo Schroeter (bateria) e Ary Dias (percussão) nasceu em 1977 introduzindo instrumentos elétricos na instrumentação tradicionalmente acústica do chorinho, além de misturar rock com ritmos regionais e música clássica. No repertório, sucessos como "Zanzibar", "Beleza Pura", "Menino Deus", "Semente do Amor" e "Abri a Porta", entre outras. 16 anos. Imperator – Centro Cultural João Nogueira. Sexta (4), às 21h. R$ 60.

CURVEX
O grupo reúne cantoras, musicistas e compositoras de diferentes lugares do Brasil. No repertório, músicas próprias e releituras inusitadas. Com Adriana Soares (guitarra), Ana Sucha (bateria), Clara Valente (piano), Tamara Janson (baixo), Fernanda Vaz (flauta) e Gisa Pithan (violão). Na voz, Lica Tito, Luciane Dom, Mari Blue, Roberta Spindel, Vanessa Longoni e Dani Calazans. Livre. Centro Cultural Municipal Parque das Ruínas. Rua Murtinho Nobre 169, Santa Teresa (2215-0621). Sábado (5), 17h. Grátis.

LINIKER
Projeto musical que conecta a blackmusic e o soul à música contemporânea brasileira, com composições autorais em português que trazem como tema central as relações e o amor. Com arranjos que mostram uma guitarra funkeada, baixo, bateria swingada e sopros, Liniker apresenta as músicas dançantes de seu EP de lançamento, CRU. 16 anos. Imperator – Centro Cultural João Nogueira. Sexta (5), 21h. R$ 50.

LOGARITMO INSTRUMENTAL
Com uma sonoridade que vai do samba de partido alto até o jazz, passando por ritmos latinos, baião e frevo o grupo embala o público com Guilé Santos (baixo), Will Marinho (sax), Otávio Carvalho (teclado), Luiz Janela (guitarra), Daniel Novais (bateria) e Kaká Nomura (percussão). Livre. Centro Cultural Municipal Parque das Ruínas. Rua Murtinho Nobre 169, Santa Teresa (2215-0621). Domingo (6), 17h. Grátis.

LUCAS & ORELHA. Dentro da programação do projeto Jovens Tardes, a dupla Lucas & Orelha apresenta seu funk melody. Livre.Arena Carioca Jovelina Pérola Negra. Domingo (6), 18h. Grátis.

NELSON SARGENTO
O baluarte mangueirense celebra os 90 anos com uma turnê que celebra um dos maiores nomes do samba carioca. Na companhia do grupo Galo Preto, revisita sucessos de Cartola e outros grandes nomes.Participação especial de Pedro Miranda. Livre. Arena Carioca Carlos Roberto Oliveira - Dicró.Sexta e sábado, 20h. Domingo, 19h. R$ 20.


DANÇA


NOSSA BOSSA NOVA GENTE
A Cia. de Ballet do Rio de Janeiro apresenta espetáculo inspirado na história da Bossa Nova e seus expoentes, como Antonio Carlos Jobim, Vinicius de Moraes, João Gilberto, Carlos Lyra, Roberto Menescal, Nara Leão, Ronaldo Bôscoli, Baden Powell e muitos outros. Todos eles jovens músicos, compositores e intérpretes que, cansados do estilo operístico que dominava a música brasileira até então, buscaram algo realmente novo, que traduzisse seu estilo de vida. Livre. Imperator – Centro Cultural João Nogueira. Domingo (6), 19h. R$30.

SWING ON SUNDAYS
O grupo RIO HOPPERS se dedica a divulgar e desenvolver as swing dances no Rio de Janeiro, em especial a Lindy Hop. O grupo atua com professores, performers e organizadores, que reverenciam a cultura afro-americana dos anos 20 aos anos 40. O grupo oferece aulas gratuitas de nível iniciante, seguidos de baile. Para praticar e desfrutar o domingo com dança e música. O evento é um convite para voltar no tempo e conhecer sobre as danças populares que já fizeram muito sucesso. Livre. Centro Cultural Municipal Oduvaldo Vianna Filho - Castelinho do Flamengo. Domingo (6), 14h. Grátis (sujeito a lotação da turma).


DEBATE


BIBLIOTECA RIO450
Para celebrar um dos legados das comemorações de 450 anos do Rio de Janeiro, a Secretaria Municipal de Cultura realiza tarde de autógrafos com os autores dos livros da coleção Biblioteca Rio450 na sexta (4), às 16h, na Biblioteca Parque do Estado. Por meio do programa de fomento da Secretaria Municipal de Cultura e do trabalho de articulação realizado pelo Comitê Rio450, foram publicados quase 30 títulos sobre a história e o repertório artístico-cultural do Rio de Janeiro. O encontro será aberto por um debate com os historiadores Maria Inez Turazzi, Nireu Cavalcanti e Paulo Knauss. Os livros da biblioteca Rio450 estarão à venda. Livre. Biblioteca Parque Estadual. Sexta (4), 16h. Grátis.

EXPOSIÇÃO


CALUNGAS
O gravurista Marcos Varela presenta parte da série Calungas, desenvolvidas a partir de 2013. Entre os vários significados desta palavra, além de bonecos do maracatu nordestino, encontramos também: “pessoas de tamanho reduzido, pessoas pequenas e por extensão, pessoas não importantes”. O título Calungas remete tanto às pequenas dimensões das xilogravuras como às figuras, que são traçadas em gestos expressivos e precisos, onde o insólito se revela de maneira direta e sintética. Abertura no domingo (6). Curadoria de Eliane Santos. Livre. Centro Cultural Municipal Laurinda Santos Lobo. Terça a domingo, 10h às 19h. Grátis. Até 31 de março.

CARLOS SCLIAR – DESENHOS DE GUERRA
Nesta retrospectiva, o gravurista e pintor que aliou a geometria às naturezas mortas apresenta uma faceta menos conhecida de sua produção. Combatente da Força Expedicionária Brasileira na 2ª Guerra, Scliar fez uma série de desenhos sobre a sua participação no conflito. Livre. Memorial Municipal Getúlio Vargas. Terça a domingo, 10h a 17h. Grátis.

FERNANDO LINDOTE: TRAIR MACUNAÍMA E AVACALHAR O PAPAGAIO
Por meio da trajetória do gaúcho Fernando Lindote, a exposição com cerca de 180 obras explora o constante procedimento mórfico experimentado pelo artista. As distorções, deformações e transformações que compõem o processo de constante metamorfose das linguagens estão presentes em toda a trajetória de Fernando Lindote. Com curadoria de Paulo Herkenhoff e cocuradoria de Clarissa Diniz e Leno Veras, a exposição, composta por quatro núcleos, traz desenhos, ilustrações, pinturas e esculturas do acervo e autoria de Lindote. Com o Bilhete Único dos Museus, é possível comprar a entrada do MAR e do Museu do Amanhã com 20% de desconto. Livre. Museu de Arte do Rio. Terça a domingo, das 10h às 18h. R$ 10 (Grátis às terças).

NADA ACABARÁ, NADA AINDA COMEÇOU
O artista Raul Leal utiliza na exposição material ligado a eventos músicais ocorridos no Palácio do Catete e no país, tendo a figura de Nair de Teffé como fio condutor. Traçando paralelos entre esses eventos, criando atritos e conexões, a mostra não pretende exibir respostas, mas sim criar perguntas e questionamentos. Serão apresentados trabalhos em pintura, texto e vídeo, formando uma instalação que ocupará todo o espaço da galeria do centro cultural. Livre. Centro da Música Carioca Artur da Távola. Terça a domingo, das 10h às 18h. Grátis. Até 3 de abril.

PASSEIO DAS BARATAS
E se pudéssemos olhar o mundo com outros olhos, muito, muito antigos? E se este outro olhar nos permitisse ver a nós mesmos de um modo muito diferente? E se o tempo deixasse de ser uma preocupação? Os artistas do coletivo Superflex convidam os visitantes do Museu do Amanhã para uma aventura inusitada pelos espaços do Museu, na qual a exploração dos Amanhãs possíveis é feita a partir da perspectiva de um bichinho que costuma nos pregar grandes sustos, mas que já assistiu os dinossauros chegarem e partirem, e compartilha conosco a capacidade de viver em todos os lugares do planeta. Apresentamos a vocês, amigas e amigos, o Grande Passeio das Baratas! É necessário agendar. Livre. Museu do Amanhã. Sábado (5) e domingo (6), às 11h e às 15h. R$ 10.

PASSINHO CARIOCA - O REGISTRO DE UMA HISTÓRIA
Na exposição de fotografias, o público pode ver fotos de meninos e meninas das favelas do Rio de Janeiro que dançam e representam o “Passinho”. Os registros foram feitos pelos fotógrafos Douglas Jacó e Thiago de Paula – ex-alunos do Curso de Fotografia da Central Única das Favelas (CUFA)’. A curadoria é do fotógrafo e professor Lucas Andrade. Livre. Arena Carioca Carlos Roberto de Oliveira – Dicró. Av. Brás de Pina, s/n – Penha (Parque Ary Barroso). Terça a sexta, 13h às 21h. Sábados, domingos e feriados, 10h às 21h. Grátis.

O POEMA INFINITO DE WLADEMIR DIAS-PINO
Com curadoria de Evandro Salles, a mostra reúne mais de 800 peças entre livros, cartazes, objetos, fotografias, desenhos, vídeos e instalações para contar a história de quase 90 anos de Wlademir Dias-Pino – seus diversos focos de trabalho, a atuação política na fundação da Universidade da Selva (hoje Universidade Federal do Mato Grosso) e a intensa atividade como teórico do design e programador visual. A exposição toma como eixo central quatro poemas: O dia da cidade, Ave, Solida e Numéricos. Abertura no dia 1º de março, às 16h, com a presença do artista para uma conversa. Com o Bilhete Único dos Museus, é possível comprar a entrada do MAR e do Museu do Amanhã com 20% de desconto. Livre. Museu de Arte do Rio. Terça a domingo, das 10h às 17h. R$ 10 (Grátis às terças).

RIO SETECENTISTA, QUANDO O RIO VIROU CAPITAL
Exposição que traça um panorama das transformações ocorridas durante o século 18, época em que cidade se tornou a capital do Vice-Reino do Brasil (1763). Com curadoria de Myriam Andrade Ribeiro de Oliveira, Anna Maria Fausto Monteiro de Carvalho, Margareth da Silva Pereira e Paulo Herkenhoff, a mostra comemora os 450 anos da fundação do Rio propondo um trajeto visual para adentrar esse século de sua história. A descoberta das minas de ouro no país, as invasões francesas, a execução de Tiradentes são momentos fortes desse processo e estarão retratados na exposição. São cerca de 700 peças – incluindo vasta documentação, objetos da época, ilustrações, pinturas, artefatos religiosos e obras de arte contemporânea – de artistas anônimos e aclamados como Mestre Valentim, Adriana Varejão, Guignard, Augusto Malta, Vasco Araújo, Pierre Verger, Carlos Julião, Rugendas e Debret, entre outros. Com o Bilhete Único dos Museus, é possível comprar a entrada do MAR e do Museu do Amanhã com 20% de desconto. Livre. Museu de Arte do Rio. Terça a domingo, das 10h às 17h. R$ 10 (Grátis às terças).

TIRADENTES CULTURAL
A primeira edição de 2016 comemora as águas de março que fecham o verão. Contaremos com performance dos alunos da escola de dança do CCC, Trio Lu Fogaça, artistas da distribuidora Descole Música, DJ, Oficina de máscara com sucata e a feira gastronômica com produtos de até 22 reais. Livre. Praça Tiradentes. Sábado (5), 14h às 21h. Informações em facebook.com/tiradentescultural.


INFANTIL


BAÚ DE BRASIS
Espetáculo infantil de Contação de Histórias musicadas sobre o folclore brasileiro, lendas, mitos e cantigas das regiões do Brasil. O espetáculo alia o teatro, história e canções, com instrumentos tocados ao vivo (violão, clarineta e percussão). A utilização de figurinos e adereços criativos e alegres colaboram na composição cênica. Baú de Brasis busca resgatar as tradições da cultura oral passada de geração para geração. Com Lídia Quadros (cantora, instrumentista e atriz), Marcelo Santana (ator e diretor) e Daniel Mariano (violonista). Livre. Centro Cultural Municipal Parque das Ruínas. Rua Murtinho Nobre 169, Santa Teresa (2215-0621). Domingos, às 12h. Grátis. Até 27 de março. Grátis.

ERA UMA VEZ – BEBÊS
Acreditando que os bebês são capazes de se relacionar com diferentes propostas culturais, a mediadora Roberta Consort realiza sessões de leitura de histórias para bebês de três meses a três anos de idade, incentivando a participação dos adultos para familiarizar as crianças com a literatura. Direção, criação e concepção artística de Roberta Consort. Narração de Roberta Consorte. Livre. Centro Cultural Municipal Parque das Ruínas. Rua Murtinho Nobre 169, Santa Teresa (2215-0621). Sábados (5 e 19), às 10h. R$ 20.

MIGUEL, O INVISÍVEL
Encerrada a temporada de Leituras Dramatizadas, a produtora Portal 44 apresenta a peça “Miguel, o Invisível”. Com uma linguagem leve, coloquial, o texto aborda o universo infantojuvenil, com temas atuais como o buylling e a diversidade sociocultural. No elenco, jovens talentosos como Miguel Arraes, Karize Brum, Anna Rita Cerqueira, Lucas Cotrim, Vitor Navega Motta e Caio Lucas, entre outros. 10 anos. Teatro Municipal Gonzaguinha. Sextas e sábados, às 19h e às 18h. R$30. Até 26 de março.

NEIDE KOCCA
No espetáculo, a atriz, contadora de histórias e arte educadora Neide Kocca vem agregando música do universo infantil à contação de histórias de forma harmônica e divertida, possibilitando aos ouvintes sentir importantes emoções como o bem-estar, o encantamento, a alegria e curiosidade, vividos profundamente a cada narrativa. O evento faz parte do Domingo das Crianças. Livre. Centro da Música Carioca Artur da Távola.Domingo (6), 16h. R$ 20.

ORFEU, O MENINO QUE SONHAVA EM SAMBA
O espetáculo é uma releitura do mito de Orfeu, adaptada para o universo do samba. Na versão, Orfeu decide escrever um samba onde declara seu amor à menina Eurídice, mas a inspiração o abandonou. Para piorar, seus melhores amigos estão com ciúmes e sua família não consegue entender sua falta de criatividade. Texto e direção de Andréa Cevidanes. Direção musical de Rildo Hora. Com Aron Costa, Felipe Arouca, Fernando Fernandes, Isabela Rangel, Lucas Ferraz, Mariah Dantas, Rafael Lima, Fernanda Cezar e Nelson Borges. Livre. Centro Cultural Municipal Parque das Ruínas. Rua Murtinho Nobre 169, Santa Teresa (2215-0621). Domingo (6), 11h. R$ 30.

PAMONHA E PANACA
Dois amigos inseparáveis, sem rumo na vida, travam uma disputa: um quer ser melhor que o outro. Nesse duelo cômico, eles desenvolvem um relacionamento absurdo, onde impera o individualismo e o imediatismo, agravando a situação. A peça é uma crônica burlesca sobre o comportamento humano no exercício do poder, por menor que ele seja. Em cena, Ricardo Blat e Nelson Yabeta incorporam dois palhaços que tentam sobreviver sem esforço. Texto e Direção de Rogério Blat. Com Ricardo Blat e Nelson Yabeta. Livre. Centro Cultural Municipal Parque das Ruínas. Rua Murtinho Nobre 169, Santa Teresa (2215-0621). Sábado, 16h. R$ 30. Até 26 de março.

PALAVRA VIVA
Mediada pelo grupo Manguinhos Em Cena, a contação de histórias teatralizadas estimula o hábito da leitura em crianças e adolescentes e desenvolve a criatividade, inteligência e sociabilidade. Através da apresentação de autores nacionais às crianças e aos adolescentes, o grupo perpetua, assim, a tradição da transmissão oral. Livre. Centro Cultural Municipal Laurinda Santos Lobo. Sábado (5) e domingo (6), 15h. Grátis. 



Últimas de Diversão