Convocação equilibrada e natural

Dunga mostrou coerência no retorno à seleção brasileira

Por O Dia

Rio - Se Dunga vai dar certo, se os jogadores chamados vão aprovar ou se o trauma da Copa será amenizado, não é possível prever. Mas, para começo de conversa, não há muito a contestar na primeira convocação. Há um bom equilíbrio entre jogadores que atuam por aqui e os de fora, sejam eles remanescentes da Copa ou novidades. Tivemos seis ‘brasileiros’ — seis novidades entre os ‘estrangeiros’ — e foi natural a lembrança de Everton Ribeiro, Ricardo Goulart, Gil e até Tardelli. A lembrança de Elias faz sentido, mas é curioso que ele tenha vivido fase brilhante no Flamengo e sempre esquecido por Felipão.

Agora, de volta ao Corinthians, foi chamado. Dos que estiveram na Copa, estranha-se apenas que Fernandinho continue depois do fiasco, embora o seu estilo agrade a Dunga. Outros, como Oscar, David Luiz e, claro, Neymar têm condições de se recuperar e brilhar. Importante é perceber que não há atacante típico e a ideia é um esquema móvel no ataque com boa variação de posições. Não há muito a inventar. O futebol brasileiro, em questão de nomes, anda mal e não empolga. Importante agora será o famoso encaixe.

Dunga inicia nova era à frente da seleção brasileiraAndré Mourão

EMOCIONANTE

Pode se preparar que a Copa do Brasil, a partir das oitavas, promete emoções com a chegada dos times que estavam na Libertadores e as zebras. Há confrontos de extremo contraste, como Cruzeiro x Santa Rita, e os três cariocas vão topar com equipes médias, mas perigosas, como o Botafogo contra o Ceará. Mas tudo é imprevisível. Certo mesmo só o suspense do mata-mata, com estádios cheios e a nostalgia da época em que o Brasileiro tinha decisões nas fases finais.

CASA CHEIA

O Maracanã deverá estar muito festivo hoje com ingressos baratos, o Flamengo animado pela recuperação e a tradição que envolve o clássico. É possível até que seja batido o recorde de público na competição. Que a torcida não se iluda. Será um teste difícil nessa retomada porque o Fla vem ganhando sem jogar bem. O Galo pode não ser mais aquele time poderoso da conquista da Libertadores mas ainda é forte, com jogadores perigosos como Dátolo e Tardelli.

Maracanã deve ficar cheio nesta quarta-feiraMárcio Mercante

SEM RECUOS

Não está na hora de o Botafogo travar o que parece ser a sua recuperação no campeonato. Uma vitória inesperada e emocionante como a de domingo tem quase a obrigação de ficar como um marco de uma nova fase, ainda mais que jogadores esquecidos atuaram bem, o dinheiro recomeçou a pingar e o adversário de hoje pode ser difícil mas não superior. O Botafogo ainda não emplacou duas vitórias seguidas e se conseguir a façanha deixará o Z-4 a razoável distância.

NA PRESSÃO

A torcida do Flu mudou o seu estado de ânimo em poucos dias e o que era um manjar dos deuses passou a ser um bolinho qualquer. Convém não exagerar. O time continua bom, o técnico também, há dinheiro por enquanto e a necessidade maior é a contratação de um zagueiro e de um lateral. Fred não deve ser demonizado, mas não pode haver imposição para a sua escalação. É melhor manter aquele esquema móvel que fascinava e recuperar Fred aos poucos.

BARÇA E REAL PROMETEM UM FUTEBOL DOS SONHOS

Depois da goleada do Barcelona sobre o León deu para perceber que o time catalão embarca em um novo ciclo, mantendo a classe de antes, mas exibindo variações novas com a habilidade de Iniesta, Messi, Neymar e, no futuro, a presença constante de Suárez. E, se imaginarmos o Real Madrid, a coisa está até melhor porque Kroos, James Rodríguez, Cristiano Ronaldo, Benzema e Bale (e talvez Di María) prometem maravilhas. Só os alemães poderão encarar mas, mesmo assim, em nível de clubes, os espanhóis estão no topo.

Últimas de Esporte