Chefe da arbitragem respeita protestos do Flu e defende tecnologia no futebol

Sérgio Corrêa ouviu um pedido de renúncia do cartola carioca

Por O Dia

Rio - Sérgio Corrêa, presidente da Comissão de Arbitragem da CBF, não quis polemizar e disse que respeita a opinião do presidente do Fluminense, Peter Siemsen. O dirigente pediu a renúncia do chefa dos árbitros do futebol brasileiro por conta de um erro de Leandro Vuaden na partida diante do Palmeiras, válida pela Copa do Brasil, na última quarta-feira.

LEIA MAIS: Árbitro coloca xingamentos do presidente do Fluminense na súmula

"Respeitamos a opinião do presidente do Fluminense. Nosso trabalho tem sido feito e os investimentos também. Assim como as equipes trabalham. Chegamos num ponto no futebol que um detalhe coloca tudo como péssimo. Tivemos um gol muito bem anulado, mas milimetricamente. Então, sem o árbitro ter vídeo (para auxiliá-lo), não tem mais jeito. Sem o vídeo não tem mais como, só com Jesus. Futebol está muito veloz e o ser humano que está ali já não tem mais condições para superar isso", disse Sérgio Corrêa em entrevista ao SporTV.

O Cartola ainda revelou que o Brasil está buscando uma autorização especial para fazer experiência com tecnologia de imagens nas partidas de futebol.


Sérgio Corrêa%2C presidente da Comissão de Arbitragem da CBFDivulgação/CBF


Últimas de Esporte