Mancha Alviverde exclui ex-presidente e mais 19 membros após morte de fundador

Moacir Bianchi foi assassinado no dia 2 de março com 16 tiros em emboscada no bairro do Ipiranga, em São Paulo

Por O Dia

São Paulo - A Mancha Alviverde, principal torcida organizada do Palmeiras, anunciou nesta terça-feira uma reformulação no seu comando e a exclusão de 20 membros, entre eles Anderson Nigro "Nando", que era presidente quando o fundador Moacir Bianchi foi assassinado. Quem assume o cargo é André Guerra.

Ex-presidente da Mancha Verde foi assassinadoReprodução / Facebook

Nas redes sociais, a torcida justificou a decisão tomada na última reunião do conselho, realizada na segunda-feira. Apesar de citar "envolvimento com fatos que levaram ao assassinato de nosso fundador Moacir Bianchi", a nota oficial não deixa claro se o item refere-se aos 20 membros expulsos.

Bianchi foi assassinado no dia 2 de março com 16 tiros em emboscada no bairro do Ipiranga. Horas antes do crime, o palmeirense esteve na sede da organizada, nos arredores do Allianz Parque, onde tentou mediar um conflito interno entre a diretoria da uniformizada e dissidentes da filial Zona Sul. A Mancha chegou a anunciar o encerramento das atividades por tempo indeterminado, mas voltou atrás poucos dias depois.

Últimas de Esporte