A hora de Don Fredón

Depois de atuações ruins, o camisa 9 da seleção brasileira quer ressurgir com gols no confronto com Camarões

Por O Dia

Rio - Mais uma vez, Fred é o foco das atenções na seleção brasileira. Sem fazer gols e ser efetivo, o jogador vem sendo muito contestado por críticos e torcedores. Ser questionado não é novidade para o atacante. Na Copa das Confederações, o camisa 9 não marcou nos dois primeiros jogos, ouviu pedidos por Jô, que balançara a rede duas vezes. Porém, como uma fênix, renasceu em cima das reclamações, fez cinco gols e decidiu para o Brasil.

Fred focado em corresponder no jogo contra CamarõesDivulgação

Até aqui, os números de Fred na Copa do Mundo são pífios: apenas duas finalizações em duas partidas e nem o papel de pivô ele tem conseguido fazer. O centroavante acertou apenas 14 passes dos 27 que tentou (52%). O atacante do Fluminense correu 15,7 km somados os dois jogos e pouco apareceu, exceção feita quando desabou na área croata, e o árbitro assinalou pênalti, que foi convertido por Neymar. Se não marcar contra Camarões, Fred igualará seu maior jejum na era Felipão, com três jogos sem balançar as redes.

LEIA MAIS: Notícias e bastidores da seleção brasileira na Copa do Mundo

Fred muitas vezes parece aquele carro velho que demora para engrenar. Na Copa das Confederações, ocorreu o mesmo jejum de agora, mas nos três jogos seguintes marcou cinco gols. A eficiência foi tamanha que ele acertou nove dos 14 chutes que tentou na competição, marcando dois gols na final contra a Espanha. Até nos passes o centroavante foi melhor, com 68% de acerto, ajudando a equipe fazendo o pivô, como no gol de Neymar sobre o Japão.

VEJA MAIS: Confira a tabela e a classificação da Copa do Mundo

Vale ressaltar que a seleção brasileira ainda não encontrou seu melhor futebol nesta Copa do Mundo. A vitória sobre a Croácia contou com uma generosa ajuda do árbitro e diante do México, apesar das boas defesas do goleiro Ochoa, a equipe comandada por Felipão não foi bem, e o camisa 9 chegou a ser vaiado quando deu lugar a Jô.

O jogador não esconde que gosta de grandes partidas contra os melhores times e que se motiva com clássicos. Talvez, Camarões não seja o jogo que o artilheiro espera, mas quando a coisa aperta, pode mandar a bola que o Don Fredón resolve. É o que esperam os mais de 200 milhões de brasileiros.

Últimas de _legado_Copa do Mundo