Mercado projeta inflação maior e retração do PIB em 2015

Mercado elevou a projeção do IPCA de 7,33% para 7,47%. Em relação ao Produto Interno Bruto, previsão do mercado é de retração de 0,58%, a maior já observada desde 1990, aponta Focus

Por O Dia

Brasília -  Em semana de reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC), os investidores e analistas do mercado financeiro aumentaram a expectativa de fechamento da Selic, taxa básica de juros da economia, para 2015. Com relação ao Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos por um país) a projeção é que a economia terá retração de 0,58% contra 0,5% anteriormente.

O mercado espera que a Selic chegue a 13% ao ano, o que implica um aumento até o fim do ano de 0,75 ponto percentual em relação ao patamar atual, de 12,25% A projeção anterior era que a taxa encerraria os doze meses em 12,75% ao ano. 

A estimativa para a Selic está no boletim Focus, pesquisa junto a instituições bancárias divulgada semanalmente pelo BC. O Copom se reúne amanhã (3) e quarta-feira (4) com o objetivo de definir a taxa básica para os próximos 45 dias. Os analistas do mercado também voltaram a elevar, hoje (2), a projeção para a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), de 7,33% para 7,47%. O valor segue acima do teto da meta da equipe econômica para a inflação, que é 6,5%.

A previsão para os preços administrados, que são os regulados pelo governo, passou de 10,4% para 11%.  No caso da produção industrial, é esperado recuo de 0,72%, contra 0,35% na semana passada.

A projeção de câmbio passou de R$ 2,90 para R$ 2,91. A estimativa da dívida líquida do setor saiu de 37,9% e alcançou 38,2% do PIB. A projeção do déficit em conta-corrente, que mede a qualidade das contas externas, ficou em US$ 79,1 bilhões contra US$ 78,4 bilhões anteriormente, O saldo projetado para a balança comercial aumentou, passando de US$ 4,4 bilhões ao patamar anterior de US$ 5 bilhões. Os investimentos estrangeiros estimados seguiram em US$ 60 bilhões.

Últimas de _legado_Notícia