Morte de onça no revezamento da tocha é destaque na imprensa internacional

Jornal afirmou que Brasil despertou a ira de defensores dos animais com abatimento. Grupo chamou de desnecessária

Por O Dia

Rio - A morte da onça Juma durante participação em uma cerimônia com do revezamento da tocha olímpica no Centro de Instrução de Guerra da Selva (Cigs), em Manaus, além de provocar revolta e comoção em todo Brasil ganhou destaque na mídia internacional nesta quarta-feira. O animal foi abatido, o que internautas chamaram de "assassinato", depois de fugir do local e mesmo sob efeito de tranquilizante "avançar" contra um militar, segundo o Exército. 

Juma antes de ser "abatida" pelo ExércitoDivulgação

A emissora norte-americana "CNN", a britânica "BBC", assim como o "The Telegraph", o "NY Times", a agência "Reuters" e outros destacaram que a fêmea Juma, de 17 anos, chamava atenção por estar presa por uma corrente de ferro. 

Várias matérias, incluindo a do "USA Today", diziam: "Onça é morta com tiro de pistola no Brasil."

"O Brasil despertou a ira dos amantes dos animais com a ação. (...) Aparentemente ela (onça) escapou da cerimônia, mas não havia risco de que fugisse do parque", destacou o "NY Times."

O grupo defensor dos direitos do animais Peta também se manifestou e chamou a morte de "desnecessária." 

"Erramos ao permitir que a Tocha Olímpica, símbolo da paz e da união entre os povos, fosse exibida ao lado de um animal selvagem acorrentado", admitiu o Comitê Organizador dos Jogos do Rio 2016. Em uma nota divulgada em sua fanpage no Facebook, o comitê também disse que o ocorrido "contraria as crenças e valores" da organização.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência