Maduro pede diálogo com países que se opõe ao seu governo

De acordo com jornal, presidente da Venezuela quer abrir debate com governos da América latina que o acusam de romper democracia

Por O Dia

Caracas - O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, pediu na terça-feira um "diálogo regional" que inclua países da América Latina que acusam seu governo de uma ruptura democrática e não reconhecem a instalação da Assembleia Constituinte.

Apesar de ser acusado de romper com democracia no país, maduro pede diálogo com países vizinhosDivulgação/Miraflores Palace

Maduro fez a sugestão em Caracas, durante uma reunião de ministros das Relações Exteriores da Aliança Bolivariana dos Povos da América (Alba), grupo de governos aliados do regime venezuelano que inclui Bolívia, Nicarágua e Equador, segundo o jornal El Universal.

Também nesta terça, 12 países da região, entre eles o Brasil, se reuniram em Lima, no Peru, e decidiram adotar um conjunto de medidas para explicitar sua condenação aos atos recentes do governo de Maduro. Os chanceleres de Argentina, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, Guatemala, Honduras, México, Panamá, Paraguai e Peru afirmaram não reconhecer a Assembleia Constituinte e reafirmaram seu apoio à Assembleia Nacional, controlada pelos oposicionistas.

A Assembleia Constituinte venezuelana, por sua vez, aprovou ontem um decreto no qual se declara superiora a todas as outras formas de poder no país.


Últimas de _legado_Mundo e Ciência