Corpo a Corpo: Quaquá vai ajudar a eleger filho de Cabral deputado

Prefeito de Maricá já sinalizou apoio caso Marco Antônio Cabral se candidate ao cargo

Por O Dia

Rio - Na boa, eu gasto boa parte do meu tempo dizendo para minhas fontes queridas que essa coisa de “parceiros a nível nacional” e “adversários a nível local” vai acabar dando um nó na cabeça do eleitor. Mas ninguém me dá bola.

E todo mundo acha que realmente faz sentido ver, no país em que a presidenta Dilma Rousseff (PT) é companheira de Michel Temer (PMDB), o partido dela e o dele às turras aqui no Rio tentando desfazer a aliança que elegeu o governador Sérgio Cabral duas vezes. Tudo para que o peemedebista Pezão e o petista Lindbergh Farias possam disputar o governo em outubro — um contra o outro, diga-se.

Quaquá vai ajudar a eleger filho de CabralNei Lima / Agência O Dia

Quando eu já estava quase convencida de que eu é que sou implicante, o prefeito de Maricá e presidente regional do PT, Washington Quaquá, me veio com novidade. Enquanto negocia a saída o mais rápido possível do PT do governo Cabral, Quaquá disse que “como prefeito de Maricá” vai ajudar a eleger o filho do governador, Marco Antônio Cabral, deputado federal, se ele for mesmo candidato.

Não sei, só sei que foi assim

Quaquá me explicou que uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa. Como presidente regional do PT, é claro que tem que cuidar da pré-candidatura de Lindbergh. Para o presidente do PT no Rio, não dá para botar a militância na pré-campanha do senador com o partido estando num governo que também tem candidato. Mas, como prefeito, Quaquá tem o PMDB em sua base em Maricá — onde, segundo ele, tem apoio dos 11 vereadores. Entre eles, dois peemedebistas — Filipe Bittencourt e Robson Dutra — que vão trabalhar para eleger Marco Antônio Cabral. Com as bênçãos de Quaquá. Fiquei com medo de perguntar mais e acabar descobrindo que “a nível internacional” o PT fecha com a família Bush.

Pezão na luta

Pré-candidata pelo PCdoB, Jandira Feghali está na mira de Pezão para voltar à turma do “estamos juntos”. “Estou tentando muito”, diz Pezão, que tem conversado com comunistas, mas ainda não falou com a deputada.

Enquanto isso, no PR...

E no PR as conversas com possíveis aliados também vão caminhando. Clarissa Garotinho diz que, com o PTdoB, a aliança já está certa. Com o Pros e o Solidariedade, a conversa está em andamento.

E “a porta está aberta” para o PSB, o PSD e — adivinhem — o PCdoB. Clarissa é a coordenadora do PR na capital e marcou para janeiro 60 reuniões para cuidar da pré-candidatura do pai — não sei vocês, mas eu cansei só de apurar.

Últimas de _legado_Brasil