Cervejas líderes com preços ‘congelados’ até a Copa

‘Verão sem aumento’ junto com as altas temperaturas melhoraram as vendas na estação

Por O Dia

Rio - A boa receptividade — tanto por parte dos pontos de venda quanto dos consumidores — à campanha “Verão sem aumento”, proposta da Ambev em manter os preços das marcas Skol, Antarctica e Brahma congelados até o fim da estação, está fazendo a empresa discutir internamente nova ação que mantenha os valores estáveis nos próximos meses. Durante a inauguração da linha de produção da Budweiser, ontem em Piraí, o gerente regional de marketing da Ambev RJ, Bruno Sergio de Oliveira, afirmou que, neste momento, não há nenhum aumento previsto e que qualquer ação nesse sentido é comunicada com antecedência ao mercado.

As amigas Natali (E) e Thais preferem beber na Lapa%2C “onde os preços estão mais em conta”Angelo Antônio Duarte / Agência O Dia

“A ‘Verão sem aumento’ superou todas as nossas expectativas. Só no Rio de Janeiro mais de 50 mil estabelecimentos aderiram à campanha, entre bares, choperias e quiosques de praia. Como temos que fechar a campanha, estamos pensando num novo movimento para o consumidor, também já visando a Copa do Mundo”, explicou Bruno Sergio.

Mesmo sem os números fechados do primeiro trimestre do ano, o executivo assegura que o período foi bastante positivo, contrabalançando as quedas nas vendas do terceiro trimestre de 2013. “Foi um período muito bom. O clima quente, o Carnaval mais para frente e a própria campanha fizeram aumentar as vendas. Para este ano, estamos bastante otimistas”, afirmou.

ARENAS PÚBLICAS

O otimismo para 2014 também tem haver com a Copa do Mundo, cujo o carro-chefe é a campanha ‘O futebol está voltando para casa’ da Brahma, uma das marcas patrocinadoras oficiais ao lado da Budweiser. “O futebol é um evento cervejeiro. Então, estamos pensando em ações com as outras marcas com transmissões abertas em locais públicos. Como na Copa das Confederações, pensamos em arenas da Brahma no clube Monte Líbano, Morro da Urca e também no Alzirão (Rua Alzira Brandão, na Tijuca)”, contou o gerente regional.

Consumidoras de cerveja nos bares da Lapa, no Centro, por apresentarem preços mais em conta, as amigas Thais Dornelas, 30 anos, e Natali Chagas, 29, já estão preocupadas com um possível reajuste de valor nos próximos meses. Thais afirmou que conhecia a campanha para o preço da cerveja não subir no verão e que espera que não aumente nos próximos meses, pois já considera o valor “exorbitante”.
“Estou pagando entre R$7 e R$ 9 e acho um absurdo já que o dono do bar deve pagar muito menos que isso na indústria”, argumentou a geógrafa, que disse consumir em torno de R$ 100 por semana em cervejas.

Piraí ganha duas novas produções

O prefeito de Piraí, Luiz Antonio da Silva Neves (PSB) não cabia em si, durante a abertura da nova linha de produção de cerveja no município do Sul Fluminense. Afinal, não é todo o dia que uma cidade do interior do estado pode comemorar o início de produção de duas empresas ao mesmo tempo, gerando emprego e renda.

Ontem, além da nova linha de produção da marca Budweiser, da Ambev, aumentando para 860 empregos diretos, o prefeito também participou da inauguração da Youtility Center, empresa italiana de call-center que atende à TIM. Nessa primeira fase, a empresa já contratou 300 funcionários, maioria jovens e mulheres, mas com possibilidade de expansão para até 700 postos de trabalho.

Secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Julio Bueno saudou os novos empreendimentos, destacando que o Rio deve ir além do petróleo, investindo na indústria da transformação e do conhecimento: “para sair de um estado de renda média para o de maior renda per capta do país.”

Nova linha de produção no Estado do Rio

A Ambev inaugurou ontem na fábrica de Piraí, no Sul Fluminense, uma linha de produção da marca Budweiser, que este ano é patrocinadora oficial da Copa do Mundo. Foram investidos R$ 165 milhões na linha fabril, que produzirá a bebida em garrafas long neck e latas de 350 ml. Lançada no país em 2011, a cerveja era fabricada apenas na filial de Jacareí (SP).

Com a nova linha, a fábrica de Piraí, adquirida pela companhia em 2007, passa a produzir 70 tipos diferentes de produtos (embalagens e bebidas — cervejas e refrigerantes). As sete linhas de produção têm uma capacidade instalada de 8 milhões de hectolitros por ano.

Vice-presidente de assuntos corporativos e jurídico da Ambev, Pedro Mariani afirmou, durante a inauguração, que o Rio de Janeiro é estratégico para a companhia, que reúne 12 unidades de negócios no estado. São três fábricas de cervejas e refrigerantes (Rio, Petrópolis e Piraí), oito centros de distribuição no estado, uma planta fabril para produção de garrafas de vidro e quatro revendedoras.

Indagado sobre a criação de um novo centro de pesquisa tecnológica da Ambev, que poderia ser instalado no Rio, o vice-presidente desconversou afirmando que inovação e pesquisa são temas fortes para a companhia, principalmente, quando se trata de inovações em bebidas (líquidos) e embalagens. Mariani disse que um novo centro de tecnologia é um tema ainda muito embrionário, podendo ser uma expansão do atual, localizado em Campinas (SP), ou uma nova unidade.

“Estamos sempre estudando, mas é um assunto embrionário, não há nada em vista. Porém, o Rio poderia ser um local, tendo em vista que vários centros tecnológicos e de pesquisa estão se instalando aqui, principalmente na Ilha do Fundão”, despistou Mariani.

Últimas de _legado_Economia