Americano que passou 24 anos preso por engano pede R$ 360 milhões de indenização

Advogado do acusado diz que ' é importante que a cidade outorgue este dinheiro para que ele possa restabelecer sua vida de novo'

Por O Dia

Nova York - Um homem que cumpriu uma pena de 24 anos de prisão por engano, ao ser condenado injustamente por um assassinato, exige agora uma indenização de US$ 162 milhões, cerca de R$ 360 milhões à cidade de Nova York, informou nesta segunda-feira o jornal "The New York Post".

Segundo a fonte, a prova definitiva para libertação do acusado, Jonathan Fleming, veio através de um recibo em seu nome, o qual comprovava que o mesmo esteve em um hotel da Flórida, próximo aos parques da Disney. O recibo em questão mostra que o acusado esteve no local quatro horas antes do assassinato pelo qual foi condenado.

O homem, residente do condado de Brooklyn e que possui 51 anos de idade, deixou a prisão no mês de abril, depois que a promotoria considerasse a prova apresentada. A condenação de Fleming foi determinada por Charles Hynes, ex-juiz do condado.

Em outra ocasião, também sob as ordens de Hynes ,David Ranta, de 23 anos, acabou sendo preso após ter sido condenado injustamente pela morte de um rabino. David Ranta, que chegou a cumprir 23 anos de prisão, ganhou liberdade no mês de março após ter sua inocência comprovada. Segundo o advogado de Fleming, Taylor Koss, é "importante" que a cidade outorgue este dinheiro para que "Fleming possa restabelecer sua vida de novo".

Últimas de _legado_Mundo e Ciência