Coronel José Luís Castro é o novo comandante da PM

Oficial estava à frente do 1º Comando de Policiamento de Área

Por O Dia

Rio - O coronel José Luís Castro Menezes é o novo comandante da Polícia Militar. A escolha foi feita durante reunião com a cúpula de Segurança na tarde desta terça-feira. O novo substituto do coronel Erir Ribeiro estava à frente do 1º Comando de Policiamento de Área.

O secretário de Segurança Pública José Mariano Beltrame concederá uma entrevista coletiva, nesta terça-feira, às 17h, para falar sobre a escolha do novo comandante-geral.

Coronel José Luís Castro Menezes substitui Erir Ribeiro no comando da PMEstefan Radovicz / Agência O Dia

Será o coronel José Luís quem também decidirá se mantém ou revoga a decisão assinada por Erir de anistiar os policiais punidos entre o dia 4 de outubro de 2011 e a última quinta-feira — dia da publicação da medida no boletim interno da corporação.

Entre os nomes cotados para o cargo estavam os dos coronéis Ricardo Pacheco, Jorge Freitas e Paulo Henrique de Morais, que é atual comandante da Coordenadoria de Polícia Pacificadora.

'Intrigas só podem partir daqueles que não sabem comandar'

O coronel Erir Ribeiro Costa Filho agradeceu, nesta terça-feira, o apoio de militares através de sua conta na rede social Facebook. Ele foi exonerado do cargo de comandante da Polícia Militar, na noite desta segunda-feira, pelo secretário de Segurança Pública José Mariano Beltrame.

"Eu, Erir Ribeiro Costa Filho, coronel da PM, agradeço a cada policial militar que ombreou junto a mim neste um ano e 10 meses que estive à frente do comando da corporação. Sinto orgulho de poder ter contado com meus policiais nos momentos de instabilidade social nos últimos dois meses e sei que vocês sentiram o mesmo. Alguns querem desmerecer meus atos, com informações falsas de que serei candidato. Essas intrigas só podem partir daqueles que não sabem comandar, chefiar ou dirigir. Enfim, trabalhei todos esses anos pela minha corporação, pelos meus policiais, sem esperar nada em troca. O respeito e a amizade dos meus comandados são a minha maior vitória. Obrigado", agradeceu.

Em nota, o governador Sergio Cabral agradeceu a colaboração pelo 1 ano e 10 meses do coronel à frente da PM. "Quero agradecer toda a dedicação, lealdade e seriedade do Coronel Erir da Costa Filho à causa pública e ao serviço da Segurança Pública em nosso estado. Costa Filho é um exemplo de oficial".

Cabral acrescentou que “a troca de comando da PM não mudará em nada a política de pacificação no estado do Rio”. A polêmica anistia a policiais militares com punições foi a principal causa para a queda do comandante da PM.

Beltrame e Erir num evento na Baixada%3A secretário não estava satisfeito com a condução da tropa%2C especialmente nos protestos e no caso AmarildoPaulo Alvadia / Agência O Dia

Enfraquecido

O episódio da anistia na queda de Erir Ribeiro foi apenas a gota d’água. Os erros na condução da tropa nos protestos de junho e julho, e o retorno da PM de forma negativa aos noticiário — como o desaparecimento do pedreiro Amarildo de Souza após ser preso por policiais da UPP da Rocinha — enfraqueceram o coronel e deram espaço às críticas. Nos últimos dias, Beltrame já não escondia dos principais assessores a necessidade de mudar o comando para oxigenar a PM.

Insatisfeito com a decisão de livrar a cara dos agentes infratores, Beltrame expôs a Erir a necessidade de revogar a decisão para manter a doutrina de pulso firme contra os deslizes da tropa. O chefe da PM bateu o pé e alegou que o indulto só beneficiava faltas disciplinares administrativas, contidas no rigoroso código de conduta militar.

Numa nota sucinta, a Secretaria de Segurança resumiu a saída de Erir Ribeiro como um ato normal na gestão de governo. “Mudanças fazem parte do processo de gestão e devem ser vistas com naturalidade", disse Beltrame, que destacou o empenho do coronel no comando da PM.

Últimas de Rio De Janeiro