Polícia apreende drogas e armas durante operação no Morro do Dendê

O labrador Scott, do Batalhão de Ações com Cães (BAC), ajudou os militares na operação e encontrou tabletes de entorpecentes. Três pessoas foram presas

Por O Dia

Rio - Policiais do 17º BPM (Ilha do Governador) e do Batalhão de Ação com Cães (BAC) realizaram operação nesta quinta-feira no Morro do Dendê, na Ilha do Governador. Foram apreendidos mil projéteis de diversos calibres, uma metralhadora, duas armas desmontadas, uma pistola 9mm, um revólver cal 38, uma máquina de prensa, oito rádios transmissores, 16 tabletes de maconha, grande quantidade de cocaína e materiais para endolação. Três pessoas foram presas.

Material apreendido no Morro do DendêReprodução Internet

O labrador Scott, do BAC, ajudou os PMs na operação e encontrou tabletes de entorpecentes. O caso está registrado na 37ª DP (Ilha do Governador).

Suspeitos de tráfico são presos no Morro do Juramento

Apontado como o segundo na hierarquia do tráfico do Morro do Juramento, em Vicente de Carvalho, na Zona Norte, Gilvan Leite da Silva, de 31 anos, o Gilvanzinho, foi preso por homens do Batalhão de Choque que apoiavam incursão do 41º BPM (Irajá) naquela localidade na noite desta quarta-feira.

Gilvanzinho foi preso pela PM no JuramentoDivulgação

Gilvan seria, segundo a polícia, além de gerente geral da venda de entorpecentes, segurança do traficante Flavinho, chefe do morro. Ele foi detido na Avenida Pastor Martin Luther King Júnior, um dos acessos do Juramento, em um Fiat Idea, de cor prata.

Com ele também foi preso Wallace Trigueiro da Silva, de 24 anos, acusado de tráfico. Gilvan seria ainda um dos integrantes do chamado 'Bonde do Mão', grupo que teria sido responsável pelo assassinato de pelo menos 50 policiais, antes da pacificação do Complexo do Alemão, em novembro de 2010.

Segundo informações do Serviço Reservado (P2) do 41º BPM, Gilvanzinho estava se dirigindo à Favela da Grota, no Alemão, para arregimentar mais 'soldados' para o tráfico no Juramento. A polícia acredita que ele tentava se prevenir de uma possível invasão do Juramento por traficantes da Serrinha, em Madureira, ou planejava invadir a comunidade vizinha, que está em guerra com o Juramento. As duas favelas são ligadas por uma mata.

Os dois presos foram levados para a 22ª DP (Penha) sob forte esquema de segurança. O Disque-Denúncia (2253-1177) oferecia R$ 2 mil de recompensa por informações que levassem à prisão de Gilvanzinho.

Últimas de Rio De Janeiro