Beltrame afirma que Complexo da Maré vai ganhar quatro UPPs

Secretário de Segurança Pública disse ainda que próxima comunidade a ter delegacia será o Complexo do Alemão

Por O Dia

Rio - O secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, afirmou nesta quarta-feira, durante entrevista no Quartel General da Polícia Militar, que o Complexo da Maré, na Zona Norte do Rio, vai ganhar quatro Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs). A declaração foi feita após reunião no local com o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, para detalhar novo plano de segurança para o município da Região Metropolitana. Com o anúncio, o governo do Estado cumpre a meta de fazer 40 UPPs até 2014, já que a 35ª (Méier) e a 36ª (Lins), serão instaladas até o fim deste mês.  

Beltrame disse ainda que 1500 homens devem reforçar as unidades na Maré,por se tratar de um território bastante complexo. "A Maré não é trivial. A questão de segurança no Rio de Janeiro não é trivial. Vamos dividi-la. Talvez, até em quatro. (Isso por causa) do tamanho dela e porque temos ali todas as facções criminosas muito bem divididas geograficamente. Isso é uma coisa que está em estudo", pontuou. O secretário relatou que após a implantação de uma delegacia na Rocinha, na Zona Sul, a próxima comunidade pacificada a receber uma unidade policial será o Complexo do Alemão, na Zona Norte.

Rodrigo Prudêncio Barbosa, o Gordinho, foi gerente do tráfico de drogas no Alemão. Numa gravação a policiais civis, ela fala sobre os tiros disparados durante a Corrida da Paz, na comunidade, em maio ddeste ano. O secretário, que participou do evento na ocasião, comentou o episódio: "Já disse isso para vocês e vou repetir. O programa de UPP está dado. Não vai ter nenhum tipo de recuo. Não vamos desistir disso. Por que não vamos desistir disso? Porque temos muito mais aspectos positivos do que negativos. Nós temos muito mais ações feitas contra o tráfico do que vinha se fazendo. E mais: nós acreditamos no que estamos fazendo", finalizou.

Sobre a questão da violência em Niterói, Rodrigo Neves disse que a população da cidade aguardava o novo planejamento. "Somos um município que também vai participar de grandes eventos nos próximos anos, como todo o Estado. O povo da cidade esperava por isso", declarou. 
De acordo com o prefeito, o plano apresentado por Beltrame será implementado em três fases e prevê o aumento do efetivo policial em Niterói e melhoria de prédios e instalações para as forças de segurança no município. No próximo dia 20, o secretário visitará a cidade e apresentará o detalhamento das ações que prevê uma delegacia de Homicídios em um novo imóvel, e reforço de companhias destacadas da Polícia Militar.

Operação na Maré prendeu 26

Agentes da Subsecretaria de Inteligência (Ssinte) da Secretaria de Segurança (Seseg) e da Polícia Civil prenderam pelo menos 26 pessoas durante megaoperação realizada nesta quarta-feira em comunidades do Complexo da Maré, na Zona Norte. O corpo de um homem foi encontrado durante a incursão na Rua do Valão, na Favela Nova Holanda.

Presos chegam à Cidade da Polícia após operação no Complexo da MaréFabio Gonçalves / Agência O Dia

Segundo a Seseg, os agentes cumpriram 20 mandados de prisão dos 51 expedidos contra bandidos de duas facções rivais. Uma pessoa foi presa em flagrante e outras cinco tinham mandado de prisão pendentes e estavam foragidas. De acordo com a polícia, houve troca de tiros com traficantes durante a ação.

Três traficantes do Espírito Santo foram presos na Ponte Rio-Niterói. Eles vieram de Cariacica (ES) ao Rio para comprar drogas na Favela Nova Holanda. Também participam da operação, batizada de Netuno, agentes da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), Polícia Militar e mais de 200 homens de várias especializadas e uma equipe da Polícia Federal. Foram capturados: Bruno Lino Caitano, Jhonny Idelfonso de Souza (encontrado com armas, que foram apreendidas), Michael Douglas de Souza Albuquerque, Paula Roberta Silva Rodrigues, Roberto Ferreira Bandeira, Anderson Dias de Sant'anna, Jorge Luiz Pereira Rangel, Michel de Andrade Ferreira, Santiago Luiz Resende Torres, Edson Severino de Souza, Anderson de Oliveira Santos, Bruno Roberto Silva Loureiro, Alex Ribeiro, Adriano Pimentel Duarte, Vanilson Ferreira dos Anjos, Alessandro Francelino dos Santos, Tatiana Luiza Ramos da Silva, Thaylla Costa Brasiliense, Ana Cristina dos Santos, Jason Luiz de Oliveira Araujo, Leandro de Souza Nunes, André Pereira dos Santos, Dionathan da Silva Nogueira, Paulo Roberto Moura Fiuza Junior e Wayner Vieira Vicente.

>>> GALERIA: Veja fotos da operação na Maré

"A operação chama a atenção por enfraquecer duas facções criminosas do complexo. Trata-se de um local de difícil acesso e que requer muitas investigações", disse Fabio Galvão, subsecretário de Inteligência da Seseg. Viaturas da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF) e da Core foram atingidas por tiros e depois alvo de pedradas. Os dois carros tiveram os vidros quebrados.

Polícia percorreu Complexo da Maré atrás de criminososSeverino Silva / Agência O Dia

Policiais do 22º BPM (Maré) apreenderam um fuzil 7.62, uma pistola 9mm, um revólver 38, uma submetralhadora calibre 40, 30 kg de cocaína, 15kg de maconha, 700 trouxinhas de maconha, uma máquina de prensa para endolação, uma caixa de cartucho do exército calibre 50, 1 granada, dois celulares e sete balanças de precisão.

Esquema repassava drogas para o Espírito Santo

De acordo com a polícia, após seis meses de investigação foi constatado que com a morte de Márcio José Sabino Pereira, o Matemático, outro criminoso, Marcelo Santos das Dores, o Menor P, assumiu o controle da venda de armas e drogas da facção criminosa.

Operação no Complexo da Maré visa prender traficantes de drogasOsvaldo Praddo / Agência O Dia

As investigações apontaram ainda que a Favela Nova Holanda se tornou uma espécie de entreposto de drogas. Nessa comunidade foi identificado um esquema de repasse de droga para criminosos do Espírito Santo.

A quadrilha utilizava pessoas para fazer o transporte – as mulas, como são chamadas pelos bandidos. Elas geralmente utilizavam ônibus para fazer o trajeto interestadual e eram escoltadas por criminosos na estrada, que faziam o trajeto Rio de Janeiro-Espírito Santo sem a droga.

Últimas de Rio De Janeiro