Caixa quebrado

Prefeito de Duque de Caxias fez as contas e descobriu que, daqui a três anos, o instituto de previdência municipal não terá mais dinheiro para pagar aposentados e pensionistas

Por O Dia

Rio - Prefeito de Duque de Caxias, Alexandre Cardoso fez as contas e descobriu que, daqui a três anos, o instituto de previdência municipal não terá mais dinheiro para pagar aposentados e pensionistas. Segundo ele, o IMPDC deveria ter R$ 500 milhões em caixa — tem apenas R$ 25 milhões.

“Nos últimos dez anos, esvaziaram os cofres da previdência para pagar despesas em outras áreas”, diz. Ele criou um grupo de trabalho para buscar uma saída. Em dois anos, o número de beneficiados subirá de 3,6 mil para 5 mil.

Dança partidária
Pré-candidato do Pros ao governo, Miro Teixeira tenta o apoio do PPS, que vem negociando uma coligação com o PSDB para a disputa de vagas na Câmara dos Deputados e na Assembleia Legislativa. Na quinta, Stepan Nercessian (PPS) participou,como “observador”, de uma reunião entre Pros e PSB.

Mais um
E tome de vereador sonhando com uma cadeira no Tribunal de Contas do Município. Jorge Braz levantou o dedo e disse que também está na briga.

Sem transparência
Por falar na Câmara Municipal: líder do governo, o vereador Luiz Antonio Guaraná vem obstruindo a votação de projeto que determina a divulgação ampla de valores usados pela prefeitura para subsidiar espetáculos e eventos. Caberia aos produtores especificar, no material de divulgação, tudo o que foi recebido.

Outra obra
O grupo Odebrecht deverá ganhar mais uma obra na cidade. Apresentou o menor preço, R$ 457,947 milhões, para a construção para de uma pista extra e de uma ciclovia no Elevado do Joá, no sentido Barra da Tijuca. O resultado foi encaminhado pela Geo-Rio para ser homologado.


Últimas de Rio De Janeiro