Tonelada de cocaína vinda da Bolívia rendia R$ 30 milhões

Preso na Nova Holanda, fornecedor da droga trazia carregamento em rodas de caminhão

Por O Dia

Rio - O homem que, segundo a Polícia Civil, abastecia favelas cariocas com até cinco toneladas de cocaína por mês e era considerado o principal elo do Comando Vermelho com o tráfico internacional está no Complexo Penitenciário de Gericinó. Eduardo Herculano da Silva, o Avião, de 41 anos, preso na quarta-feira, disse em depoimento que as remessas de 200 kg de pasta-base da droga saíam da Bolívia e chegavam ao Complexo da Maré escondidas em rodas de caminhões que cortavam estados brasileiros em rodovias. Ele fazia entre três e cinco operações desse tipo por mês.

Veja como a droga chegavaArte O Dia

Após a endolação, a quantidade de cocaína chegava a aumentar em até cinco vezes. “Ele tinha lucros astronômicos. Cada quilo de cocaína em estado bruto era comprado por US$ 6 mil. Porém, uma vez diluído, rendia até R$ 30 mil”, afirmou o delegado da 21ª DP (Bonsucesso) Delmir Gouvêa, responsável pelas buscas. Segundo os agentes, o faturamento de cada tonelada do entorpecente poderia alcançar até R$ 30 milhões. Logo após ser preso, o traficante disse aos policiais que pretendia se submeter, em breve, a cirurgias plásticas e lipoaspirações para passar a viver ‘irreconhecível’ no exterior.

“Na hierarquia dos procurados, ele estava à frente de chefes do tráfico em morros cariocas, já que trabalhava de forma independente, em contato direto com o tráfico internacional. A prisão dele desarticula a chegada de drogas no Brasil”, disse Delmir.

Eduardo Herculano, o Avião, 41: oito mandados de prisão por tráficoSeverino Silva / Agência O Dia

Localização 'privilegiada'

Ainda de acordo com o policial, a escolha da Maré como destino da carga se dava por questão geográfica: por se localizar próxima a vias importantes da cidade, como as linhas Amarela e Vermelha, além da Avenida Brasil, a região funcionava como uma ‘central de distribuição’ para o estado. Além de favelas do Grande Rio, comunidades do Norte e do Sul do estado, controladas pelo Comando Vermelho, eram abastecidas.

E foi justamente negociando a venda de uma carga de drogas que o traficante foi preso. De acordo com policiais, Avião era escoltado por oito seguranças no momento da abordagem. Após troca de tiros, um de seus homens de confiança, Renato Santana Jesus, o Visão, foi baleado e preso.

MB foi preso dentro da Favela Nova HolandaDivulgação

Segundo o delegado, as buscas pelo criminoso começaram em fevereiro. Nos últimos dias, policiais se frustraram ao procurá-lo na Nova Holanda e Parque União. O criminoso deve seguir para uma penitenciária de segurança máxima fora do estado. Contra ele havia oito mandados de prisão por tráfico.

Chefe do pó na cadeia

Chefe do pó na Nova Holanda, no Complexo da Maré, Amabílio Gomes Filho, o MB, foi preso nesta sexta-feira à tarde pela Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas (DRFC). O bandido saía de casa, na Rua Maçaranduba, naquela favela. Sozinho e desarmado, ele não reagiu.

Há três meses os policiais investigavam o criminoso, que teve cinco mandados de prisão cumpridos ontem pelos crimes de homicídio e tráfico de drogas. Uma das mortes da qual ele teria participado foi a de um agente da Corregedoria da Polícia Civil. Segundo as investigações, MB era quem indicava os comparsas que assumiriam ‘cargos’ dentro da hierarquia da quadrilha, além de dar aval para o bando roubar veículos na Linha Vermelha e Avenida Brasil. Ele também negociava drogas com Eduardo Herculano da Silva, o Avião, preso quarta-feira.

Últimas de Rio De Janeiro