Jovem baleado no Pavão-Pavãozinho tinha mandado de prisão por tráfico de drogas

Segundo a Polícia Civil, Rafael Nascimento dos Santos, 20, é o terceiro homem na hierarquia do tráfico na comunidade

Por O Dia

Rio - Estão internadas no Hospital Municipal Miguel Couto (HMMC), na Gávea, Zona Sul do Rio, dois irmãos de 14 e 2 anos de idade, feridos por estilhaços de bala durante uma confusão envolvendo policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Morro Pavão-Pavãozinho, em Copacabana, e Rafael Nascimento dos Santos, 20, na noite desta sexta-feira. O jovem foi baleado na cabeça e está internado na mesma unidade de saúde. De acordo com a Polícia Civil, havia um mandado de prisão contra ele por tráfico de drogas.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, o rapaz que levou um tiro na cabeça foi operado e está em estado bem grave, respirando com ajuda de aparelhos. A menina de 14 anos levou dois tiros, um na coxa esquerda e outro de raspão no pé. Ela sofreu fraturas, passou por cirurgia e tem o quadro de saúde estável. O meino de 2 anos levo um tiro na perna direita, sofreu fratura e foi operado. Também segue em estado estável. Ninguém tem previsão de alta.

Segundo a delegada Thayanne Moraes, da 12ª DP (Copacabana), central de flagrantes da região, PMs contaram em depoimento que dois deles estavam comprando um lanche na comunidade quando um deles percebeu que Rafael fez menção de sacar a arama e atacá-lo. O policial conseguiu segurar a mão do suspeito e ambos entraram em luta corporal. No confronto, o jovem acabou baleado na cabeça. Próximo ao local, a adolescente de 12 anos e a irmã dela de dois foram atingidas por estilhaços na coxa e no tornozelo, respectivamente. Os três foram inicialmente socorridos na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Copacabana e depois levados para o HMC.

Ainda de acordo com a delegada, os PMs apreenderam uma pistola 9mm, cerca de 300 pinos de cocaína, maconha, haxixe, três celulares, uma balança de precisão e R$ 664 em espécie. Os policiais disseram em depoimento que o material estava em uma sacola encontrada com Rafael. Ele foi operado no fim da noite. O hospital informou que ele tinha sido operado e não corre risco de morrer.

Ainda segundo a delegada, contra Rafael havia um mandado de prisão por tráfico de drogas e associação para o tráfico, em inquérito da 13ª DP (Copacaba). Segundo os agentes da delegacia, Rafael é o terceiro homem na hierarquia da quadrilha que domina o comércio ilegal de entorpecentes no Pavão-Pavãozinho.

Após o incidente, o clima foi de apreensão na comunidade. Não houve manifestação, mas policiais do Batalhão de Choque e de outras UPPs reforçaram o policiamento na região.

Moradora diz que jovem foi confundido por PMs

Moradores do Morro Pavão-Pavãozinho relataram à noite, através do WhatsApp do DIA (98762-8248), que pelo menos duas pessoas tinham sido baleadas durante uma operação policial realizada por volta das 20h30 na comunidade. Segundo a Rede de Comunidades e Movimentos contra a Violência, um homem de 23 anos, identificado até aquele momento como Rafael, teria sido confundido com criminoso e abordado a tiros por policiais da UPP. Além dele, uma jovem, que seria menor de idade e carregava uma criança de 4 anos no colo, também teria ficado ferida.

O DIA entrou em contato com a UPP e com as assessorias das Polícias Civil e Militar, mas ainda não tinha obtido resposta. "O Rafael não é bandido e não estava armado. Ele nem mora no morro, mas vem sempre para cá porque conhece muitas pessoas daqui. Eles estavam conversando na segunda estação do teleférico. Ali é um ponto de encontro dos jovens", contou a moradora Deize Carvalho, da Rede contra a Violência.

Ainda segundo a representante da Rede, os feridos foram socorridos pelos próprios policiais. Os moradores ainda não sabiam que a criança de dois anos tinha sido atingida.. "Vimos muito sangue em cima do menino, mas não sabemos se era da moça que estava com ele", informou Deize. Segundo ela, a jovem baleada teria 17 anos e mora em frente à segunda estação do bondinho.

Últimas de Rio De Janeiro