Novos secretários tomam posse e Pezão volta a falar de corte de gastos

Durante a cerimônia, realizada no Palácio Guanabara, o governador afirmou que Segurança, Saúde e Educação não serão afetados

Por O Dia

Rio - Durante a posse dos novos 24 secretários, no Palácio Guanabara, o governador Luiz Fernando Pezão voltou a afirmar o corte de gastos em todas as pastas. Pezão declarou ainda que as áreas de Saúde, Educação e Segurança não serão afetadas com a medida. Além disso, mencionou que pretende solicitar ao governo federal mais profissionais para o programa Mais Médicos no estado. 

O governador Luiz Fernando Pezão empossou os novos secretários durante cerimônia realizada nesta segunda-feira no Palácio GuanabaraMaíra Coelho / Agência O Dia

Conforme já havia anunciado, em entrevista ao Informe do DIA , o governador reeleito afirmou, ainda em dezembro, que pretende cortar pelo menos 20% das despesas das secretarias. O detalhamento dessas medidas sairá no Diário Oficial do estado nesta terça-feira. 

Equipe de Pezão toma posse nesta segunda-feira com cobrança de redução de gastos

"Os secretários estão proibidos de gastar o que não têm e fazer projetos novos. Eles vão se concentrar nos que já estão em andamento. Cada secretário deve se dedicar ao orçamento como se fosse a conta de suas casas. Não tem cheque especial", disse o governador. 

Durante a posse, o secretário de segurança, José Mariano Beltrame foi o mais aplaudido. Já o titular da pasta de Trabalho e Renda, Arolde de Oliveira,; Cidinha Campos - anunciada para Proteção e Defesa do Consumidor - e Paulo Melo, que assumirá a Secretaria de Governo, não tomaram posse nesta segunda, por conta de seus mandatos como deputados.

"Tenho orgulho de juntar políticos e técnicos nas secretarias. Não vai ter vaidade, nem super secretário. Quero todos trabalhando juntos e dividindo os problemas, e que a gente lute por cada R$1", afirmou Pezão. 

Outra medida anunciada pelo governador é o aumento do número de profissionais do Mais Médicos. Atualmente, o Rio conta com 380 deles. No entanto, Pezão acredita que o número deve aumentar, e, para isso, a Secretaria de Saúdef fará um estudo. O objetivo é solicitar ao governo federal mais médicos para o estado. 

Apenas nove secretários de Cabral foram mantidos

Entre os 9 remanescentes do governo Cabral está o coronel da PM Cesar Rubens, que iniciará sua terceira gestão à frente da Administração Penitenciária, e é investigado pelo Ministério Público por enriquecimento ilicíto, como revelou O DIA no mês passado. Filho do ex-governador Sérgio Cabral, deputado federal Marco Antônio Cabral, que assumirá a pasta de Esportes e Lazer, é um dos novatos.

Desfalques estão certos para posse: Paulo Melo (PMDB) pediu mais duas semanas para resolver pendências burocráticas na Alerj antes de assumir a Secretaria de Governo e Cidinha Campos (PDT) solicitou mais um mês antes de voltar para a pasta de Proteção e Defesa do Consumidor. Ela se recupera de cirurgia realizada no fim do ano passado, para retirada de um tumor maligno nos seios.


Últimas de Rio De Janeiro