Empresário perde obra de Di Cavalcanti em táxi

Descuido aconteceu há duas semanas e uma recompensa está sendo oferecida para quem devolver a pintura

Por O Dia

Rio - Procura-se um Di Cavalcanti. E se por descuido você esquecesse dentro de um táxi a obra de um dos maiores artistas brasileiros da modernidade? Pois é. O que deixaria qualquer um enlouquecido, aconteceu há duas semanas com o empresário carioca Carlos (nome fictício). Aflito, mas esperançoso, o homem tenta encontrar a ilustração desaparecida e promete recompensar quem devolvê-la. "É uma obra normal. O quadro faz alusão aos Arcos da Lapa e ao Teatro João Caetano. Não tem grande valor no mercado de arte", disse o proprietário da ilustração. "A ilustração vale entre 15 e 20 mil reais", estimou. O caso foi revelado na manhã de segunda-feira pela BandNews.

Obra do pintor Di Cavalcanti%2C com data de 1929%2C foi esquecida em táxi há duas semanasReprodução

Ansioso para chegar em casa e extremamente cansado, Carlos voltava à noite de São Paulo para o Rio, voo que está habituado a fazer. Depois de um dia cheio na capital paulista, o empresário desembarcou no Aeroporto Santos Dumont, no Centro. Em vez de pedir um táxi de cooperativa, ou mesmo algum que fizesse ponto no Santos Dumont, Carlos optou pelo "amarelinho" convencional. Emoldurada e embrulhada em papel pardo, Carlos carregava a pintura com uma das mãos enquanto esticava o braço e chamava um táxi com a outra. Com cerca de 20 centímetros de altura por 30 de comprimento, o quadro, pintado em guache e nanquim, tem aproximadamente o tamanho de uma folha ofício A4. No verso da obra, uma dedicatória do próprio artista para João Caetano, ator e encenador brasileiro que deu nome ao teatro no Centro do Rio.

"Não culpo o motorista, o culpado sou eu. Acabei vítima do meu cansaço. Eu estava exausto, mas saltei duas quadras antes de casa (em Ipanema, na Zona Sul do Rio) porque estava muito trânsito. Mesmo que seja honesto, o taxista nem teria como tentar me devolver o quadro, porque ele não sabe onde moro", lamentou o empresário.

Nos últimos 15 dias, a rotina de Carlos na ponte aérea continuou. Sempre que chega ao Rio, porém, tem conversado com taxistas e está confiante que um dia encontrará o motorista da fatídica noite. "Eu gostaria muito de encontrar a obra e dar essa chance a quem a encontrou de devolvê-la", concluiu. O empresário promete R$ 200 a quem encontrar o quadro.

'Não é só uma ilustração'

Os valores de obras de Emiliano Augusto Cavalcanti de Albuquerque, Di Cavalcanti, podem variar (e muito!). Especialistas ouvidos pelo DIA garantem que ilustrações ou quadros do artista podem sair por R$ 10 mil e chegar a R$ 10 milhões. Reconhecidamente plural, o artista foi um dos nomes mais expressivos da Modernidade brasileira. Di Cavalcanti nasceu no fim do século XIX e morreu em 1976, aos 79 anos. Aos 25 anos, uma obra de Cavalcanti já ilustrava capa do catálogo da Semana de Arte Moderna, em 1922.

"Ele foi pintor, ilustrador, jornalista... Foi um artista proteico. Participou de praticamente todas as representações artísticas de seu tempo. A vida dele foi extremamente produtiva. Foi, inclusive, um dos idealizadores da Semana de Arte Moderna. As ilustrações dele não podem ser, de forma alguma, desconhecidas. É um artista de reconhecimento internacional e de um acervo muito vasto", explicou a professora de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Ângela Ancora.

A docente preferiu não opinar sobre quanto valeria o quadro esquecido no táxi, mas, acredita que por ser de 1929, mesma década da Semana de Arte Moderna, o preço deve ser alto. No site Bolsa de Arte, algumas obras do artista leiloadas em abril deste ano chegam a R$ 300 mil.

Informações sobre a obra podem ser enviadas à redação do DIA no e-mail: nicolas.satriano@odia.com.br 

Últimas de Rio De Janeiro