Policiais são presos acusados de sequestro e extorsão em São Gonçalo

Agentes teriam sequestrado dois moradores de comunidade e exigido R$ 10 mil da família pelo resgate

Por O Dia

Rio - A Polícia Civil prendeu quatro policiais militares, suspeitos de sequestro e extorsão e sequestro, na noite da última sexta-feira, no bairro Santa Isabel, em São Gonçalo, na Região Metropolitana. Os agentes, segundo investigação, usaram um carro comum para levar dois suspeitos e, depois, ligaram para a família de um deles exigindo R$ 10 mil pelo resgate.

De acordo com a reportagem do Bom Dia Rio, da TV Globo, os soldados Carlos Alberto Pereira da Silva Júnior, Cauê Soares de Souza e André Casaca de Souza e o sargento Wander Costa de Souza, foram presos em flagrante acusados de extorsão mediante sequestro e peculato, quando há desvio de função pública.

Tudo começou depois que os policiais prenderam Lucas da Costa Marques, 18 anos, e André Gonçalves da Silva, 30 anos, suspeitos de tráfico na comunidade da Guaxe. Na hora da prisão, Lucas estava com cocaína e maconha. Parentes do oo suspeito disseram que viram quando os policiais colocaram os dois num Gol branco, que está em situação irregular no Detran desde o ano 2000, afirmou a reportagem.

A família de André procurou a delegacia para denunciar o caso e, no depoimento, afirmopu que os policiais percorreram vários bairros com o Gol branco e que, durante esse tempo, os PMs fizeram ligações de um celular exigindo R$ 10 mil para não levar André para a delegacia.

Ainda de acordo com o Bom Dia Rio, os agentes entraram em contradição. Primeiro disseram que André e Lucas eram traficantes, mas, na delegacia, contaram uma versão diferente. Falaram que apenas Lucas era traficante. André, segundo os agentes, seria morador da comunidade. O delegado desconfiou desta história e da extorsão.

Policiais civis conseguiram confirmar a versão dos parentes de André quando encontraram o Gol branco a poucos metros da delegacia. No interior do carro, havia aproximadamente R$ 3.700, munição e os dois aparelhos celulares usados na negociação para libertar André. O carro foi periciado em busca das digitais dos polciais militares e o resultado sairá nos próximos dias.

Os agentes envolvidos no caso foram presos e já se encontram na Unidade Especial Prisional da PM, em Niterói. Eles se recusaram a prestar depoimento. Ainda segundo a reportagem da TV Globo, investigadores descobriram que o carro branco já foi citado em outro registro de extorsão na região e suspeitam que o esquema já venha sendo praticado há algum tempo. A PM disse à emissora que instaurou um Inquérito Policial Militar (IPM) para apurar as condutas dos policiais.

Últimas de Rio De Janeiro