Câmara abre CPI para investigar prefeito de Itaguaí

Mota é acusado de desviar recursos públicos. Servidores entraram em greve e querem plano de cargos e salários

Por O Dia

A greve dos servidores públicos de Itaguaí não é o único problema para o prefeito Luciano Mota (PSDB). A Câmara de Vereadores aprovou há 15 dias a abertura de CPI para investigar denúncias de desvios de recursos públicos.

Mota é investigado também pela Polícia Federal, acusado de liderar quadrilha que teria desviado R$ 30 milhões do município. A comissão composta pelo presidente Jailson Barbosa (PRP), o relator William Cezar (PT) e o membro Noel Pedroza (PT do B) já iniciou o processo de investigação que pode terminar com impeachement.

Segundo William Cezar, a comissão encontrou diversas irregularidades que comprovariam o desvio de dinheiro público pelo prefeito. Entre elas estaria a construção de uma ponte superfaturada no bairro Mazomba, após as enchentes que afetaram a cidade em abril do ano passado.

De acordo com o vereador, o prefeito decretou estado de emergência, mas a ponte foi construída somente cinco meses depois das enchentes e a quase 30 quilômetros do local afetado pelas chuvas, no bairro de Ponte Preta. “Ele pagou 50% antes de ser iniciada. Não teve dispensa de licitação. O contrato foi de R$ 1,5 milhão com uma empresa de Juiz de Fora”, revela Cezar.

Esta semana, nove mil servidores cruzaram os braços em protesto o adiamento por 120 dias do aumento previsto na tabela do Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos dos profissionais. Aprovado no ano passado pela Câmara, estava previsto para entrar em vigor em 1º de janeiro. O decreto foi publicado pelo prefeito no Diário Oficial do último dia 29, um dia antes da data prevista para o pagamento ser feito.

Funcionários protestaram pelas ruas da cidade contra a suspensão em 120 dias do pagamento do aumentoDivulgação

A decisão reduziu em 20% o quadro dos servidores comissionados. Segundo o presidente da comissão de negociação, Emerson Oliveira, só haverá acordo caso o prefeito pague de imediato o que prevê o Plano de Cargos e Salários e dê melhores condições de trabalho aos servidores.

Em nota, a assessoria de imprensa da prefeitura informou que, se for convocado, o prefeito irá depor na Câmara. Quanto à obra, alega que a ponte no bairro Mazomba foi feita no lugar da antiga e já está sendo usada.

Últimas de _legado_O Dia na Baixada