Advogado diz que amiga de vítima de estupro vai depor a favor de suspeito

Para Eduardo Antunes, conversas em rede social podem inocentar jogador do Boavista, que foi preso na segunda-feira

Por O Dia

Rio - Uma amiga da adolescente, de 16 anos, que sofreu estupro coletivo, na Praça Seca, na Zona Oeste, chegou na Cidade da Polícia, na tarde desta quarta-feira, para depor a favor do jogador do Boavista Lucas Perdomo. De acordo com o advogado Eduardo Antunes, as conversas entre a testemunha e a vítima no Twitter mostram que o suspeito, que está preso desde esta segunda-feira, não teve participação no crime. No entanto, a polícia ainda não confirmou o conteúdo do depoimento dela. 

Jovem foi vítima de estupro coletivo na Praça SecaReprodução TV Globo

Na conversa, a testemunha pergunta para uma outra pessoa, que seria a vítima, se "foi o Petão mesmo", como se fosse uma referência a Lucas. A resposta da adolescente teria sido "Não, tá louca (sic)". Em outra parte, a menina disse que recebeu muitas injeções e remédios. Apontado como namorado da jovem, o jogador foi preso enquanto esperava para dar uma entrevista coletiva em um restaurante, no Centro do Rio.

LEIA MAIS

Mais um suspeito de participação em estupro coletivo é preso

?Carta atribuída a suspeito de participar de estupro pode mudar rumo do caso

?Polícia identifica sétimo suspeito de participar de estupro coletivo

?Jovem vítima estupro coletivo poderá mudar de nome

Na mesma ocasião, Raí de Souza, de 22 anos, se entregou na delegacia e chegou a afirmar que foi o autor do vídeo em que a vítima aparece desacordada. As imagens foram divulgadas nas redes sociais e causou revolta nos internautas. Já nesta quarta-feira, Raphael de Assis Duarte Belo, de 41 anos, também se entregou na Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (DCAV). Ele fez uma selfie com a adolescente na cama, enquanto estava desacordada, na madrugada do último dia 21.

Raphael estava escondido na casa de uma tia e foi convencido pelo irmão a se entregar na presença de um advogado. O ex-funcionário da TV Globo, desligado no ano passado, foi levado para a Cidade da Polícia para prestar depoimento. Até o momento, a polícia identificou sete suspeitos de envolvimento no caso. 

Carta pode mudar rumo do caso

Uma nova versão para o caso do estupro coletivo de uma adolescente de 16 anos é contada em uma carta divulgada, na noite desta terça-feira, numa página do Facebook, denominada "Jacarepaguá Notícias RJ". De acordo com os organizadores da página, o documento seria de Raphael Assis Duarte Belo.

Na carta, o autor diz que, após ter a ideia de fazer uma matinê na quadra do Francão, localidade da comunidade São José Operáio, foi ao "Rodo" pedir autorização a traficantes. "Lá você tem que comunicar tudo que faz", diz o texto. "Peguei a moto, o Raí (de Souza, 22 anos - preso há dois dias) subiu na minha garupa, e fomos lá", continua trecho do documento. Esta ida do rapaz ao Rodo teria ocorrido no domingo, 22 de maio, um dia após a jovem ter sido supostamente estuprada.

"Ao chegar em um beco, a direita, estava a casa abandonada, aberta, toda suja, fedendo a fezes, e com uma mulher nua. Um rapaz que estava perto, por apelido Jefinho, não o conheço, falou: 'Tem uma mulher ai que não quer ir embora. Tá desde o dia do baile'. Olhamos e entramos os três, ficamos entre a sala e o quarto. Ela estava deitada, nua, dormindo, muito suja e com os cabelos embolados. Parecia uma cracuda ou mendiga", diz trecho do documento.

Últimas de Rio De Janeiro