Suspensão do patrocínio ao vôlei pode ser um marco no combate à corrupção

Patrocínio do BB foi suspenso após relatório da Controladoria Geral da União (CGU) apontar irregularidades e desvios no repasse de recursos feito pelo banco à entidade que administra a mais vitoriosa e bem-sucedida modalidade do país

Por O Dia

A suspensão temporária do patrocínio do Banco do Brasil à Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) pode ser um marco no combate aos desmandos e corrupção no esporte brasileiro. O acordo foi suspenso após relatório da Controladoria Geral da União (CGU) apontar irregularidades e desvios no repasse de recursos feito pelo banco à entidade que administra a mais vitoriosa e bem sucedida modalidade do país. A investigação foi aberta em março, na sequência de uma série de denúncias feitas pelo canal ESPN Brasil à gestão do ex-presidente da CBV, Ary Graça, hoje o mandatário da Federação Internacional de Vôlei (FIVB) e um dos homens mais próximos do presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman. Graça, inclusive, sucedeu Nuzman no comando da entidade, no início dos anos 90.

Jogadores do Canoas(RS) protestam contra os desmandos na CBV em jogo contra o Taubaté pela Superliga 2014Divulgação

A medida é histórica. Pela primeira vez uma confederação de peso do universo olímpico brasileiro é punida pela ação suspeita de seus dirigentes. Apesar do crescente investimento de grandes empresas privadas como Itaú, Bradesco, BRF, Volkswagen e Vivo, o esporte de alto rendimento no Brasil ainda tem nas estatais como Banco do Brasil, Caixa Econômica, Petrobras e BNDES sua maior fonte de financiamento. Isso explica o impacto causado pela decisão conjunta da CGU e do BB. Outras confederações suspeitas de irregularidades e mau uso de recursos temem perder suas receitas a menos de dois anos do maior evento esportivo mundial. Com isso, a moralização e limpeza do esporte brasileiro pode se tornar o principal legado indireto deixado pela Rio-2016.

Rugby fecha ano do Super Desafio BRA

Patrocinador da Olimpíada de 2016 e de seis confederações, o Bradesco criou em 2014 o Super Desafio BRA, uma série de competições com as modalidades que patrocina. Depois do Basquete e do Judô, chegou a vez do Rugby. No próximo sábado, a praia de Ipanema , no Rio, será palco do torneio de Beach Rugby. Fora dos Jogos desde a edição de Paris, em 1924, o esporte da bola oval volta à grade olímpica em 2016.

A noite de gala do esporte brasileiro

Depois de uma breve escala em São Paulo em 2013, o Prêmio Brasil Olímpico volta hoje ao seu palco principal: o Theatro Municipal do Rio de Janeiro. A partir das 20h, serão conhecidos os melhores atletas do país em 2014. O momento mais esperado e emocionante da noite será uma homenagem a Laís Souza, ex-ginasta que sofreu um grave acidente num treino de esqui aéreo para os Jogos de Söchi.

Número da semana

R$ 10, 7 mi: Esse é o valor total da premiação da terceira Copa do Nordeste, também conhecida como Lampions League. Será o maior valor desde a criação do torneio, em 2012. Além da taça, o campeão embolsará R$ 2,390 milhões. Todas as despesas dos times e árbitros serão pagas pela organizadora, a Liga do Nordeste.

INVESTCRAQUE

Fred, atacante artilheiro do Brasileirão-2014

O ano que termina ficará para sempre na lembrança de Fred. De grande esperança de gols da Seleção na Copa do Mundo, o atacante se tornou uma versão 2014 de Barbosa, referência ao goleiro que, para muitos, foi o vilão da derrota brasileira para o Uruguai em 1950. Alvo da ira e das piadas da torcida, que passou a chamá-lo de cone, Fred saiu da Copa inconformado com as críticas e disposto a mostrar que não estava acabado para o futebol. E a resposta veio em forma de gols. Com 18 deles, o nove Tricolor foi artilheiro do último Brasileirão. Fora dos campos, o jogador investe seu dinheiro em uma fazenda de gado em Teófilo Otoni, em Minas Gerais, sua terra natal, em imóveis para locação em Belo Horizonte e Rio de Janeiro e numa cesta de investimentos com aplicações diversas.

Últimas de _legado_Notícia