Por que, mesmo sem desfilar, a Tijuca não foi a última colocada?

Presidentes das escolas de samba falam sobre polêmica.

Por O Dia

No Carnaval 2016, esta mesma coluna publicou, na quinta-feira após o Carnaval, declarações polêmicas de Laíla, da Beija-Flor, questionando o julgamento do Carnaval. Ele levantava suspeitas sobre o julgamento da Unidos da Tijuca. Um ano depois, a história se repete. A Unidos da Tijuca mais uma vez é privilegiada. Aliás, duplamente.

Primeiro, antes de os envelopes serem abertos, em uma reunião feita às pressas, mudou-se a regra e ficou decidido que nenhuma escola cairia. Tudo para favorecer a Tijuca. Até porque todos achavam que os jurados não perdoariam tantos erros.

Mas a surpresa maior veio com a abertura das notas. Os jurados não puniram de forma decente a escola que veio com uma alegoria com ferragem exposta, e com a harmonia e evolução seriamente comprometidos.
Depois de tantas vergonhas, a legitimidade do Carnaval é colocada em jogo. A coluna foi atrás de alguns presidentes de escolas com força política da Liga das Escolas. Veja o que eles disseram:

Anísio Abraão David (Beija-Flor):  “Estamos de acordo do resultado dado pelos jurados. Se a opinião pública é a favor do julgamento, quem somos nós para discordar? Não somos nós que escolhemos quem vai julgar. Estamos a favor da decisão da Liga, de não rebaixar nenhuma escola. Mas não com a votação dos jurados. A escola não pode ficar satisfeita com a interpretação de alguns jurados."

Jayder Soares (Grande Rio): “Foi decisão da maioria. Eu não estava na reunião da Liesa. Tinha que ter cumprido o regulamento. O fato é que a Tijuca não contou a história do enredo dela. Tinha que descer Eu não vou passar a mão na cabeça de ninguém. A escola tem que pagar pelo erro cometido na Avenida."

Rogério de Andrade (Mocidade): “Ela tinha que ser rebaixada. A regra é bem clara! Levar um 9,9 em alegorias com um carro destruído? A mesma nota dada para a Mocidade, que estava impecável? E a harmonia? E a evolução? Esse jurado está louco? Ou ele favoreceu a Tijuca! Tem que ter respeito pela comunidade e pelos foliões! Foram 12 pessoas feridas no acidente com o carrod a Tijuca! E 20 com o carro da Tuiuti! Quem vai ser responsável por isso? Se a Liesa, que é quem regula o Carnaval não puniu ninguém... Pergunto eu: e se fossem 32 estrangeiros machucados? Como ficaria?"

Ney Filardis (União da Ilha): “Ninguém aqui aceitou com satisfação esse resultado. Não vou falar mais nada."

Na esquerda%3A Anísio Abraão (Beija-Flor) e Jayder Soares (Grande Rio)%3B Na direita%3A Rogério de Andrade (Mocidade) e Ney Filardis (Ilha do Governador)Arte%3A O Dia Online