Aplicativo utiliza playlist do motorista para avisar sobre excesso de velocidade

Ao fazer o login no Spotify, o app acessa músicas da conta conectada e usa os dados do Google Maps para identificar emitir alerta

Por O Dia

Rio - Já imaginou um aplicativo capaz de alertar sobre os excessos de velocidade somente pela música que toca dentro do carro? É assim que funciona Speed-O-Track. Resultado de uma parceria entre a Arteris, o Spotify e o Google Maps, a ferramenta foi desenvolvida pela Dentsu Brasil e tem como objetivo ajudar os motoristas a respeitarem os limites das ruas e rodovias. De forma inusitada, em vez dos já tradicionais avisos sonoros, é a música que “ensina” a se manter dentro da lei e evitar multas.

Ao fazer o login no Spotify, o aplicativo acessa todas as playlists da conta conectada e usa os dados do Google Maps para identificar a velocidade máxima permitida no local a ser transitado. Quando ultrapassada, a música que está tocando no momento é acelerada e só volta ao ritmo normal quando o veículo estiver dentro do limite estabelecido, auxiliando, assim, os motoristas.

Após o login no Spotify%2C o aplicativo acessa todas as playlists da conta conectada e usa os dados do Google Maps para identificar a velocidade máxima permitida no localDivulgação

O aplicativo está alinhado com a ‘Década de Ação pela Segurança no Trânsito’ (2011-2020), instituída pela ONU e que prevê reduzir em 50% os acidentes fatais nas rodovias brasileiras no período. A ferramenta, disponível gratuitamente para Android e iOS, funcionará apenas para assinantes Premium do Spotify. As 500 primeiras pessoas que fizerem download ganharão um mês grátis de assinatura do Spotify Premium.

Segundo a diretora de Comunicação, Marketing e Sustentabilidade da Arteris, Alessandra Vasconcelos, é preciso inovar nos modelos de combate aos acidentes de trânsito. “A inovação é um dos pilares da estratégia de segurança viária da nossa empresa, que trabalha para cumprir a meta de 50% de redução dos acidentes nas rodovias que administramos. Os aplicativos de navegação estão cada vez mais presentes nas vidas das pessoas, o que abre uma enorme oportunidade para o desenvolvimento de funcionalidades que podem tornar o trânsito mais seguro” , avalia a diretora da Arteris.

A tecnologia envolve uma combinação entre geolocalização, ‘reverse geocoding’, ‘streaming’ e processamento de áudio. O cruzamento de dados do API (Application Programming Interface) do Google Maps com a playlist do usuário no Spotify aproveita um hábito frequente das pessoas — ouvir música dentro do carro —, possibilitando, assim, a criação de um alerta diferenciado e muito melhor de ser percebido pelos condutores.

No Brasil%2C o trânsito tira mais de 40 mil vidas todos os anos%2C correspondendo a uma taxa superior a 22 óbitos por grupo de 100 mil habitantes%2C acima da média das AméricasDivulgação

“O Speed-o-Track chama rapidamente a atenção dos motoristas e o alerta sobre o excesso de velocidade por meio da própria música em ritmo acelerado, ao contrário de mensagens sérias e pouco interessantes que normalmente são utilizadas quando o assunto é Segurança no Trânsito”, conta Filipe Cuvero, diretor de Criação da Dentsu Brasil.

META MUNDIAL

De acordo com a ONU, em todo o mundo, cerca de 1,3 milhão de pessoas morrem vítimas de acidentes a cada ano, enquanto a quantidade de feridos chega a 50 milhões. O Brasil ocupa o quinto lugar entre os recordistas em mortes no trânsito, atrás apenas da Índia, China, Estados Unidos e Rússia. Ainda de acordo com o levantamento, um dos maiores fatores de risco para essa realidade é o excesso de velocidade pelos motoristas.

Pesquisa recente da Arteris identificou que, apesar das intensas campanhas alertando sobre os riscos do excesso de velocidade, quase metade dos motoristas brasileiros admite infringir, mesmo que ocasionalmente, os limites permitidos nas vias. No Brasil, o trânsito tira mais de 40 mil vidas por ano, o que corresponde a uma taxa superior a 22 óbitos por grupo de 100 mil habitantes, acima da média das Américas (15,9 por 100 mil habitantes), dos países de média e baixa renda (20,1 e 18,3 por 100 mil habitantes, respectivamente) e mais que o dobro dos países de alta renda (8,7 por 100 mil habitantes).

LEGENDA: No Brasil, o trânsito tira mais de 40 mil vidas todos os anos, correspondendo a uma taxa superior a 22 óbitos por grupo de 100 mil habitantes, acima da média das Américas.

LEGENDA 2: Após o login no Spotify, o aplicativo acessa todas as playlists da conta conectada e usa os dados do Google Maps para identificar a velocidade máxima permitida no local a ser transitado

Últimas de Automania