Acidentes deixam 1.320 feridos e 79 mortos em rodovias federais no Natal

Apesar do alto índice, número é 30% menor que no ano anterior

Por O Dia

São Paulo - Nem todas as famílias tiveram o que comemorar durante o feriado de Natal. De acordo com um balança divulgado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), somente nas rodovias federais do país, 79 pessoas morreram e 1.320 ficaram feridas. Segundo a PRF, este número foi 30% menor que no ano passado, quando aconteceram 113 óbitos. Em 2016, o Natal caiu num domingo, não tendo havido feriado prolongado.

Número de acidentes em rodovias foi 30% menor neste NatalReprodução Internet

Ainda de acordo com a PRF, em apenas quatro dias, foram registrados 34.487 flagrantes por excesso de velocidade e 3.539 motoristas realizando ultrapassagens irregulares em todo o Brasil. Foram aplicados 627 autos de infração a motoristas que dirigiam após ingerir bebidas alcoólicas e 1.418 pelo não uso do cinto de segurança. A fiscalização autuou 232 motociclistas sem capacete e 278 motoristas que levavam crianças sem a cadeirinha.

Ao todo, 33.133 pessoas e 32.630 veículos foram fiscalizados no feriado de Natal e 19.358 testes de bafômetro foram aplicados.

Operação de fim de ano e férias  

A ação de fiscalização da PRF faz parte da Operação Rodovida, iniciada na sexta-feira. Criada em 2011, a operação é comandada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, por meio da PRF, com apoio da Presidência da República, Casa Civil e dos ministérios das Cidades, da Saúde e dos Transportes.

Segundo o porta-voz da operação, o policial Diego Fernandes Brandão, apesar da queda no total de mortes, os acidentes fatais poderiam ser evitados, porque são resultado principalmente de excesso de velocidade, ultrapassagens indevidas, consumo de álcool ao dirigir, falta de equipamentos de segurança e de falta de atenção. “São condutas evitáveis. A gente tem um rol muito grande de mortes que poderiam ser evitadas com mudança de atitude”.

A Operação Rodovida continuará até o dia 18 de fevereiro. “Seguirá no fim de ano, durante as férias escolares e até o Carnaval, períodos com fluxo mais intenso nas estradas”, disse o porta-voz da PRF. 

Com informações do Estadão Conteúdo e da Agência Brasil

Últimas de Brasil