Devido a atos racistas, STJD suspende partida de volta entre Grêmio e Santos

Goleiro Aranha sofreu manifestação preconceituosa na Arena

Por O Dia

Rio - O STJD suspendeu na noite desta sexta-feira a partida de volta entre Grêmio e Santos, que estava marcada para a próxima semana na Vila Belmiro. A procuradoria do tribunal afirmou que vai denunciar o clube gaúcho no artigo 243-G e seus respectivos parágrafos do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), por conta dos atos racistas promovidos pela torcida do tricolor com o goleiro Aranha no confronto realizado na Arena do clube gaúcho na última quinta-feira. O julgamento vai acontecer na próxima quarta-feira, e a equipe pdoe ser exclúida da Copa do Brasil. O próprio Grêmio divulgou a mensagem no seu perfil oficial do facebook.

Aranha reclamou de racismo dos gremistasDivulgação

Acolhendo pedido da Procuradoria de Justiça Desportiva, o STJD suspendeu a partida de volta entre Grêmio e Santos, pela Copa do Brasil. O tema está sendo analisado pelo Jurídico do Clube. A CBF ainda não indicou uma nova data para esta partida", publicou. Antes, no site oficial do tribunal, o procurado geral, Paulo Schmidt já havia falado sobre o assunto.

VEJA MAIS: Aranha é alvo de manifestações racistas da torcida do Grêmio

"É preciso que outras autoridades também façam a sua parte. Ministério Público, autoridades policiais e judiciárias precisam agir contra criminosos normalmente travestidos de torcedores. Os clubes devem responder pelos atos racistas e violentos de seus torcedores, quanto a isso não resta dúvida alguma, mas não basta. Estamos em contato com a CBF e sua Comissão de Arbitragem para que os árbitros sejam melhor instruídos e nos auxiliem a combater essa prática nefasta que revela um atraso social e ainda encontra no futebol um terreno fértil a sua proliferação. Um câncer a ser extirpado do esporte para preservar a dignidade humana contra atos de preconceito", afirmou.

O julgamento do caso está marcado para quarta-feira, às 14h, oito horas antes do horário definido por tabela para o início partida. Caso o Grêmio não obtenha uma liminar até segunda-feira, a partida será adiada por questão de logística. Neste julgamento, o Grêmio pode ser excluído da Copa do Brasil e multado em até R$ 200 mil por discriminação racial de seus torcedores, além de atraso e do arremesso de um rolo de papel higiênico no gramado (artigo 213, inciso III do CBJD). O responsável por tal fato foi identificado e punido com um mês sem ir a estádios, o que pode aliviar o clube.

Entenda o caso

Aranha, ao ouvir as ofensas racistas, interrompeu a partida aos 42 minutos do segundo tempo para informar o acontecimento ao árbitro, que nada fez. O jogador deu declaração emocionada após o apito final e no dia seguinte registrou boletim de ocorrência em Porto Alegre.

"Durante a partida, eu ouvi um coro de alguns torcedores chamando de "macaco", "preto fedido", me irritei bastante, mas continuei jogando, depois ouvi as imitações de "macaco", aí pedi para uns jornalistas filmarem os torcedores, mas eles não fizeram, acho lamentável que isso aconteça em um país como o Brasil", afirmou Aranha.

Para confirmar a reclamação do goleiro, uma torcedora foi flagrada na arquibanca da Arena do Grêmio por câmeras de TV entoando o grito de "macaco".

Últimas de Esporte