Maracanã abre as portas com cheirinho de casa nova para receber o Flamengo

Namorados e torcedores rubro-negros, Luana e Daniel dão aquele trato no estádio ao lado da turma da limpeza

Por O Dia

Rio - Às vésperas da reabertura do Maracanã, o cheirinho era de estádio novo. E de amor. Luana Liz e Daniel Mendes, namorados e torcedores do Flamengo, capricharam muito no trabalho de limpeza para deixar tudo pronto. Se o Rubro-Negro pode hoje enfrentar o Corinthians na sua verdadeira casa, deve isso ao esforço do casal e de muitos outros que suaram a camisa a fim de arrumar a festa.

Com a camisa do Mengão%2C Luana e Daniel brincam com o famoso cheirinho%3A paixão no arDaniel Castelo Branco / Agência O Dia

Luana, mãe de Kelvyn Matheus, 5 anos, Larissa Helen, 10, e Luan Caíque, 13, não é frequentadora assídua do Maracanã. Prefere curtir as folgas assistindo aos jogos em casa, ou num bar qualquer com os amigos. A moradora de Padre Miguel, porém, consegue captar a energia acumulada no estádio, enquanto faz seu trabalho.

“Não tem explicação. Quando estou almoçando, parece que ouço o batuque da torcida. Fica na minha cabeça. A festa que a galera faz é muito bonita”, disse a rubro-negra de 32 anos.

Já Daniel, com 25, vive longo relacionamento com o Maracanã. Sempre que pode, sai de Realengo para prestigiar o time de coração. Em 2004, entrou em campo com o ex-jogador Felipe, na época apelidado de Maestro. Em vez de apenas tietar o ídolo, aproveitou para cobrar a vitória.

Diante das arquibancadas vazias, ele parece ter um sorriso tatuado no rosto: “É muito prazeroso, muita satisfação trabalhar, preparar a casa para o Flamengo voltar. Os amigos me perguntam: ‘Como está a nossa casa?’ Está vendo? Já chamamos de casa. É a casa dos rubro-negros”, ressalta.

Até a botafoguense Monique Lessa, 25, moradora de Nova Iguaçu, entra no clima: “Estou caprichando. Espírito esportivo”, brinca a alvinegra.