Distrito Federal promove dia de reforço de vacinação contra o sarampo e a pólio

Campanha segue em todo o país até o dia 28 de novembro. Para a pólio, o público-alvo são crianças de 6 meses a 5 anos

Por O Dia

Brasília - A Secretaria de Saúde do Distrito Federal promove, neste sábado, um dia de reforço à Campanha Nacional de Vacinação contra o sarampo e a poliomielite. A campanha começou no dia 8 de novembro, mas a adesão tem sido baixa: 32% das crianças receberam a dose contra a pólio e 27% contra o sarampo.

Os números mostram que a situação é mais crítica na Asa Norte, bairro de Brasília onde foram imunizadas 19% das crianças contra a pólio e 17,8% contra o sarampo. As regiões com maior procura nos postos de vacinação foram o Gama (45,2% contra a pólio) e São Sebastião (36,3%, contra o sarampo).

As reações das vacinas oral e injetável contra a pólio são consideradas raras%2C no caso da vacina contra o sarampo%2C as reações incluem febre ou dor no local da aplicaçãoAgência Brasil

A campanha segue em todo o país até o dia 28 de novembro. Para a pólio, o público-alvo são crianças de 6 meses a 5 anos incompletos, totalizando 182.211 crianças no Distrito Federal. Para o sarampo, a faixa etária abrange crianças a partir de 1 ano até 5 anos incompletos, totalizando 161.045 crianças.

A secretaria ressaltou que o sarampo é uma doença viral aguda grave e altamente contagiosa. Os sintomas mais comuns são febre alta, tosse, manchas avermelhadas, coriza e conjuntivite. A transmissão ocorre de pessoa a pessoa, por meio de secreções expelidas pelo doente ao tossir, falar ou respirar.

A poliomielite é considerada uma doença infectocontagiosa grave. Na maioria dos casos, a criança não morre quando infectada, mas adquire lesões que afetam o sistema nervoso, provocando paralisia irreversível, principalmente nos membros inferiores. A doença é causada pelo poliovírus e a contaminação se dá, principalmente, por via oral.

Últimas de _legado_Brasil