Teste de glicose deverá ser obrigatório em emergências

Ideia é identificar pacientes com diabetes e encaminhar para tratamento adequado

Por O Dia

Rio - Teste para medir glicose e detectar o diabetes pode se tornar obrigatório em hospitais e unidades de emergência do país. A ideia é identificar pacientes com a doença — silenciosa e pouco diagnosticada — e garantir tratamento específico. A medida faz parte de Projeto de Lei (PL) que está na Câmara dos Deputados.

O PL prevê que seja feito o exame de glicemia capilar, com pequeno furo na ponta do dedo, junto com outros procedimentos de rotina, como medir pressão arterial e temperatura. Um dos focos da medida é diagnosticar crianças e adolescentes precocemente e evitar que eles recebam tratamento inadequando procurarem atendimento na emergência.

Thiago Ribeiro, cardiologista, clínico geral e coordenador da emergência do Hospital São Lucas, em Copacabana, afirma que, em crianças, normalmente, o diabetes é notado com ‘atraso’, quando sintomas como sede e perda de peso e de fome já apareceram. Ele ressalta ainda que é raro médicos solicitarem exame de sangue para os pequenos, o que pode atrasar ainda mais o diagnóstico.

“Muitas vezes, a criança vai com pneumonia para o hospital e não é pedido exame de sangue. Acho importante incluir a medição da glicemia”, declara.

Segundo Thiago, caso o diabetes seja detectado, os médicos deverão ficar atentos aos medicamentos dados ao paciente e evitar o soro glicosado, por exemplo.

Autora do Projeto de Lei, a deputada Benedita da Silva (PT-RJ) ressalta que o teste é simples, não atrapalha a rotina hospitalar, nem exige grande gasto.“Minha irmã não sabia que era diabética e quando descobriu já estava sem a visão. Foi um trauma para toda família”, disse.

O texto está sendo analisado nas comissões de Seguridade Social e Família da Câmara e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Brasil tem muitos casos

No caso dos adultos, Thiago lembra que o teste também ajuda a identificar mudanças na taxa de glicose e fornece mais uma informação sobre o paciente ao médico no pronto-socorro. Para ele , é fundamental que, depois de detectada a doença na emergência, a pessoa seja encaminhada para alguma unidade que dê seguimento ao tratamento do diabetes. “O teste de glicemia é o ponto de partida”.

O Brasil ocupa a 4ª posição entre os países com maior prevalência de diabetes: mais de 13 milhões de brasileiros têm a doença. Cerca de 90% dos portadores da doença têm o tipo 2 do diabetes, relacionado à obesidade. Nesse caso, o tratamento é feito com medicamento, dieta e exercício.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência